Ideologia de Gênero na Escola

Professores fazem CARTA ABERTA AOS MEMBROS DAS FRENTES CATÓLICA E EVANGÉLICA DO CONGRESSO NACIONAL. Leia o resumo abaixo e deixe sua opinião nos comentários.

 

[…]

Nosso pedido baseia-se nos fortes indícios relatados abaixo de que a 3ª versão da BNCC esteja, de fato, contaminada com Ideologia de Gênero. Essa nossa convicção não mudou mesmo com as declarações e intenções dos técnicos do MEC afirmando o contrário. Isto porque as justificativas ficaram no campo do discurso e não houve a esperada divulgação integral do texto da última versão, para a devida conferência.

Dos indícios:

As duas últimas versões da Base Nacional Comum Curricular (doravante BNCC) contêm ações e estratégias elaboradas com base na perspectiva de gênero. No total, observamos e divulgamos mais de 50 ocorrências nos dois documentos.

O Conselho Nacional de Educação (CNE) entende que plano de educação sem a perspectiva de Gênero é incompleto, conforme nota pública de 01/09/2015.

[…]

À guisa de conclusão

Senhores parlamentares,

[…] A Ideologia de Gênero [… é] um extraordinário projeto de reengenharia cultural e social operado nas mentes de crianças e adolescentes, com o motivo inconfesso (publicamente) de modelar a seu modo a sociedade do futuro.

E esta é uma luta de resistência que precisa valer a pena aos senhores.

[…] as engrenagens que possibilitam a governabilidade foram (e ainda estão) cuidadosamente aparelhadas em benefício da revolução social e cultural gramsciana. O sistema de ensino, do qual o MEC faz parte, é o setor mais estratégico e mais bem estruturado dessa revolução em marcha, invisível e sem rosto, que independe de partido político ou de quem esteja no Governo Central.

O MEC é apenas um satélite no universo sincronizado do Sistema de Ensino, universo esse inteligentemente estruturado ao longo das últimas duas décadas para funcionar perfeitamente lá na ponta, onde está o aluno, independentemente do próprio MEC, do seu ministro ou mesmo do Planalto.

E a desmontagem dos mecanismos de funcionamento desse universo educacional é uma necessidade, caso o país almeje, realmente, um futuro livre e democrático.

Esta constatação deve servir de motivação aos senhores neste momento que exige união e desprendimento para montar uma grande força política capaz de barrar a Ideologia de Gênero na educação de crianças e adolescentes.

No nosso entendimento, este é um momento absolutamente decisivo para mudar a sorte da educação de crianças e adolescentes do nosso país. Duas gerações já foram contaminadas e temos visto os resultados disso nos jovens de hoje.

Por essa razão, contamos com a vossa pressão junto ao Ministro da Educação e ao Presidente da República em defesa da integridade física, emocional e intelectual das crianças e adolescentes brasileiros.

Atenciosamente,