Aconteceu nos EUA, mas tudo que não presta a esquerda toma como modelo, avida e velozmente. Como consequência, o cidadão que não é assistido pelo Estado apesar de  trabalhar, sustenta os privilégios dos infratores.

Um grupo de direitos humanos norte-americano entrou com um processo contra o Departamento de Correção de Indiana em nome de um preso. 
A prisão não lhe forncO encarcerado alega ser transexual, acusando a recusa da prisão de lhe dar hormônios é comparável à negação de um remédio para vítimas de câncer.
 
O grupo insiste que A. Loveday passa por ansiedade, depressão e pensamentos suicidas porque a prisão se recusa a lhe fornecer os hormônios que lhe permitem transição para se tornar uma mulher
A ação do grupo cita a Oitava Emenda, que proíbe o governo de “deliberadamente permanecer indiferente a necessidades médicas graves de um preso.” A referida emenda foi escrita para impedir que o governo de torturar fisicamente os presos e de impedi-los de receber tratamento médico urgente. O Estado fornece os hormônios apenas para quem já estava em tratamento antes de ser preso, o que não é o caso de Loveday.
 
O grupo argumenta:”Se um preso é diagnosticado com câncer dois anos após ser preso, o sistema prisional trataria o câncer”,
 
Se ele ganhar seu processo, o povos do estado de Indiana terá que pagar por seu tratamento, que custa US $ 20.000 ao longo de um período de dois anos.
 
Em 2015, o traidor condenado Chelsea Manning, cuja sentença foi comutada pelo ex-presidente Barack Obama, foi aprovado para terapia hormonal para mudança de sexo.