Anitta, categorizada como cantora pela imprensa. Esta foto é aprovada pelas pessoas que condenam o sexismo.

Leia mais sobre o caso no Le Soir e no Sydney Morning Herald.

Um tribunal em Bruxelas multou em 3.000 euros um homem, por ele ter insultado um a policial por causa de seu gênero. O motorista fora parado por infringir o código da estrada. Ele insult ara a policial dizendo que seria melhor fazer um trabalho “adaptado às mulheres”, em uma cena temunhada por várias pessoas. O motorista foi considerado culpado de três acusações: desprezo de um policial, ameaça e observações sexistas em público e uma grave violação da dignidade de outra pessoa por causa do seu g ênero.
Ele foi advertido de que se não pagasse a multa, uma pena de prisão de um mês seria imposta.

“Esta é a primeira vez que usamos essa lei para processar alguém”, disse Gilles Blondeau, porta-voz do Ministério Público. “É bastante comum que as pessoas presas pela polícia insultem e ameacem. Mas culpar pessoalmente uma policial por causa de seu sexo é diferente .”

Pablo Vittar, também categorizado como cantor, desculpe, cantora.

Mas não é diferente. Quer ele a tenha insult ad o por ela ser policial ou por ser uma policial mulher , a natureza do insulto permanece a mesma coisa. Palavras más.
Uma coisa é prender o sujeito falador por resistência a prisão . Já a acusação de sexismo abre um leque em termos de gênero. Isso significa que qualquer um na Bélgica pode ser condenado por qualquer coisa que seja considerada sexista. Talvez seja “você é péssima no seu trabalho porque você é frac a e feminin a”, talvez seja “gost ei d o seu sapato”.

Essas leis estão se tornando uma tendência na Europa. As políticas sexistas estão enraizadas no viés feminista que domina , atualmente, a cultura pre dominante.

Parece que a única forma de se estara salvo de injustiça s, é estando no topo da hierarquia esquerdista.

Anitta, num show seu.