José Robalinho Cavalcanti, presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República – ANPR

Procuradores e juízes divulgaram nota conjunta em defesa de sua mobilização por salários:

Nossos destaques:

4.”as Magistraturas estão sob ataque insidioso e forte retaliação, agora já não disfarçada, em razão de sua atuação técnica e isenta no cumprimento de suas funções constitucionais, notadamente no que atine ao combate à corrupção endêmica que grassa na esfera pública e à preservação dos direitos civis e sociais de toda pessoa. É disso que aqui se trata.”

5. “projetos de lei que ameaçam gritantemente a independência técnica da Magistratura e do Ministério Público, […] que pretendem dispor […] sobre crimes de abuso de autoridade e sobre a criação dos crimes de violação de prerrogativas de advogados, tendo como “sujeitos ativos”, na maior parte das vezes, juízes e membros do Ministério Público. São símbolos de retrocesso cívico e caminham todos no sentido de calar, punir e/ou retaliar os agentes de Estado que, no exercício isento de seu dever, atrevem-se a fazer cumprir o princípio constitucional de que todos são iguais perante a lei.

O Antagonista comentou com sua verve característica:

Auxílio-moradia de quase 5 mil reais não faz de juízes e procuradores seres iguais.

Guilherme Guimarães Feliciano, presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho – ANAMATRA

Fonte:

http://www.anpr.org.br/noticia/5388