Defeitos e virtudes do atual processo eleitoral

Postado em 25 de julho de 2016

A COJAE esteve presente na última sexta-feira (22) no lançamento do programa para conscientização política Vote Bem, uma iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e diversas outras instituições.

Se você perdeu não se preocupe, pois a Assessoria de Imprensa da COJAE preparou a memória do encontro para você ficar por dentro.

gilmar mendes

Introdução e avisos

Após a fala das autoridades (Governador Beto Richa, o Presidente do TRE-PR Luiz Fernando Tomasi Keppen e o presidente da FIEP Edson Campagnolo) e representantes de entidades (José Augusto Araújo de Noronha, Presidente da OAB-PR) presentes enaltecendo o movimento e salientando a importância do voto, Campagnolo citou a parábola do Bom Samaritano descrita em Lucas 10:25-37, convidando o palestrante a iniciar sua exposição.

Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), iniciou sua fala com a ressalva de que, apesar do momento de depressão e niilismo, vivemos o maior momento democrático da história do país.

Contudo, dado o momento de extrema fragilidade política e econômica (desemprego e inflação em alta) que enfrentamos, precisamos planejar nossas próximas ações.

“Acumulamos distorções”

A Constituição de 1988 foi criada com certos vícios, mantendo o foco em conter inimigos como a inflação, tambem por isso apelidada de ‘Constituição Cidadã’. Contudo, é uma boa constituição.

Continuou sua avaliação do período democrático recente que vivemos.  Mendes lembrou o caso que ficou conhecido como os “Añoes do orçamento” do período Collor, que, tendo em vista os escândalos de hoje, deveria ser julgado em juizado de pequenas causas.

Durante o governo FHC muitas reformas foram realizadas, a cláusula de desempenho surgiu, um avanço para a época, para começar a valer somente em 10 anos. Esta clásula foi declarada insconstitucional pelo STF, um erro na avaliação do ministro. Ainda, o Supremo lutou pela fidelidade partidária mas foi passado para trás, pois não impediu o parlamentar de criar um partido. Permitindo o absurdo da criação do “partido da mulher brasileira” que não tem mulheres.

Criticou ainda a vedação de doação por empresas, o voto proporcional por lista aberta e a proliferação de partidos. O que torna inviável a ação dos poderes, exigindo uma reforma política eficiente mas duro será convencer os políticos.

Menos ativos para o deputado

O Congresso tentou eliminar certas delas com a “portabilidade” fazendo com que o tempo de tevê e outras regalias permanecessem no partido pelo qual o candidato se elegeu, diminuindo o interesse pela mudança de partido. Não foi diferente desta vez, o TSE impediu esta decisão fazendo com que o deputado permanecesse com este ativo para negociação.

Assim, estas negociações impedem mudanças e mantêm um quadro de corrupção indômita. Comprovando, na opinião do ministro que o TSE e outras instituições do Estado devem estudar e entender melhor o processo político.

Conclusão

Optou por encerrar sua fala com uma mensagem que infundisse ânimo convidando a valorizar e fortalecer a sociedade e entidades, possível dada nossa história de batalhas e certamente não será diferente agora (já enfrentamos coisas piores).

Devemos avaliar a fala do ministro e aprender com ela. Pois não é possível que tenhamos um “STF acovardado”, côrtes que não defendam a C.F./88. Lembremos a fala do juiz Sérgio Moro “(temos duas alternativas) varrer esta sujeira para debaixo do tapete (…) ou enfrentá-los”.

Para Haver Líderes Exige-se Liderados.

  Por Michael I. Knowles, no Daily Wire. Ninguém deprecia o presidente Trump melhor do que o presidente Trump - basta perguntar a ele. E, no entanto, apesar de toda a fanfarronice e jactância, o homem que não conseguia ver um prédio sem querer...

Juiz faz Campanha para Bandido.

Do site do O Antagonista. A Folha noticiou que o juiz do trabalho Átila Roesler e sua mulher, Gabriela Goergen de Oliveira, foram detidos por alguns minutos na Praça do Comércio, em Lisboa, porque Gabriela fazia fotos com um cartaz no qual estava escrito “Lula Livre”....

PCB e PSOL Querem Censurar Policial que Matou Bandido

do O Antagonista: O PCB e o PSOL queriam que a policial Katia da Silva Sastre, candidata a deputada federal em São Paulo, pelo PR, fosse impedida de exibir na propaganda eleitoral o vídeo que a mostra matando um assaltante na porta da escola da sua filha....

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *