OAB perdendo credibilidade.

Postado em 8 de dezembro de 2016

Para acompanhar esta leitura, música de fundo, em homenagem ao casal Cabral: Quem é você, interpretada pela filha de Paulinho da Viola. 

No mesmo dia em que Sérgio Cabral se tornou réu pelos crimes de corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, Adriana Ancelmo, sua mulher, foi presa.

O Ministério Público Federal denunciou que o escritório de Adriana era responsável “pelo recebimento e repasse das vantagens indevidas e pela ocultação da origem espúria, inclusive através da utilização de empresas e escritórios de advocacia, algumas delas constituídas exclusivamente com tal finalidade”.

Além disso, pelo menos desde 2010, o escritório de Adriana prestava serviços às concessionárias do governo do estado.

A OAB é o órgão responsável, entre outras coisas, por disciplinar os advogados, isto é, ela tem a obrigação de afastar os maus profissionais. Entretanto, o presidente da OAB Rio, Felipe Santa Cruz, é filiado ao PMDB, partido do ex-governador.

Por sua vez, o presidente da Escola Superior de Advocacia (ESA) da OAB-RJ é Sérgio Coelho, ex-sócio e ex-marido de Adriana. Ele atuava com ela durante boa parte do período em que, segundo o Ministério Público, o escritório era usado para as atividades ilegais.

Como disse Gabriel Mascarenhas, na coluna de Maurício Lima, no Radar On-Line: A OAB já se debruçou sobre o conflito de interesses em questão e, à época, não viu nada feio no fato de a mulher do governador ser remunerada por empresas contratadas pelo marido dela.

Mas já há gente se coçando. Conselheiros da Ordem estão elaborando outra representação contra Adriana, mas dessa vez não vai mirar apenas no conflito de interesses.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *