Marc Sousa: quem diz que há ‘segunda onda’ da pandemia deve apontar quando a primeira terminou

Postado em 10 de dezembro de 2020

Em evento de lançamento do eixo principal da Nova Ponte do Guaíba, em Porto Alegre (RS), nesta quinta-feira, 10, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o país vive “um finalzinho de pandemia” do novo coronavírus e elogiou o desenvolvimento financeiro do país diante da crise mundial. “O nosso governo, levando-se em conta outros países do mundo, foram um dos melhores que saíram no tocante à economia”, afirmou. O presidente reconheceu o aumento anormal em alguns produtos alimentícios e afirmou que é “menos ruim” uma inflação do que um desabastecimento no país. Ele também voltou a falar sobre a hidroxicloroquina como eficaz contra tratamento contra Covid. Não há comprovação de que o remédio serve para tratar a doença. As falas do presidente Jair Bolsonaro foram tema de conversa entre os comentaristas do programa “3 em 1”, da Jovem Pan, nesta quinta-feira, 10.

Thaís Oyama disse que a afirmação do presidente de que a pandemia está “no finzinho” é inverídica e lembrou que mais de 20 estados brasileiros apresentaram alta no número de mortes na quarta-feira. Para ela, a fala de Bolsonaro pode ser sinal de três cenários diferentes: “Ou o presidente está deliberadamente mentindo, ou o presidente está mal informado ou o presidente está vivendo em uma realidade paralela, um mundo só dele, que é aquela situação típica onde o governante fica isolado, fica rodeado de acólitos que filtram, que manipulam as informações que dão para ele porque sabem que o rei só quer ouvir boas notícias e dando boas notícias eles caem nas graças do rei”, pontuou. Ela afirma que nenhuma das alternativas vistas no posicionamento do presidente é positiva para os brasileiros.

Otimista, Tomé Abduch lembrou que a pandemia chegou ao Brasil ainda no primeiro trimestre do ano e citou protocolos de tratamento definidos e aprovações de vacinas no mundo como sinais positivos “O Brasil já tem três opções claras da vacina”, disse, lembrando de Oxford, Pfizer e a Coronavac como possibilidades “Nós estamos chegando realmente num momento onde a vacina começa a ser para nós realidade, o número de mortos em todo mundo diminuiu, depois subiu um pouco, “Eu acredito que nós temos que ter sim esse otimismo e entender que estamos afunilando essa doença, e eu acho que foi essa a tradução que eu daria para o que o presidente Jair Bolsonaro quis dizer em sua declaração”, afirmou.

Para Marc Sousa, a taxação de “prazos” para a pandemia, seja ao falar em segunda onda ou ao falar em término da Covid-19, é um incômodo. “Acho muito complicado colocar data, eu não concordo com segunda onda, por exemplo. Eu quero saber de quem defende a segunda onda quando terminou a primeira. A data. Qual foi o dia que terminou a primeira onda?”, questionou. Para ele, o sistema de saúde brasileiro não foi efetivamente preparado mesmo que o pedido para que todos ficassem em casa no começo da doença tivesse base em uma promessa de melhora do SUS e uma série de movimentações nas ruas por causa das eleições pode ter contribuído para o inegável aumento dos números. Ele não ignorou as notícias positivas e até concordou parcialmente com a “tradução” feita por Abduch sobre a fala de Bolsonaro, mas frisou que é importante não se ater a datas.

Confira o programa “3 em 1” desta quinta-feira, 10, na íntegra:

 

 

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 10 de dezembro de 2020.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 10 de dezembro de 2020.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

AGU recorre de decisão que determinou a realização do Censo 2021

AGU recorre de decisão que determinou a realização do Censo 2021

A Advocacia-Geral de União (AGU) recorreu de uma liminar do ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF) que ordenou a realização do Censo 2021. O julgamento no plenário da Corte deverá começar nesta sexta-feira, 7. A defesa do governo pede que o Supremo...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *