Brasil foi o maior perdedor de ‘queda de braço’ entre Maia e o governo federal, diz deputado

Postado em 23 de dezembro de 2020

As disputas entre o governo federal e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, tiveram um grande perdedor: o Brasil. A avaliação é do deputado federal Marcel Van Hattem. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, nesta quarta-feira, 23, o vice-líder do Novo na Câmara dos Deputados avaliou as consequências do atrito para o país. “Esse projeto, de fato, era parte de uma pauta bomba e só serviu para o presidente da Câmara colocar o governo contra a parede. Na verdade, os dois lados, tanto o governo quanto Rodrigo Maia estavam em uma queda de braço que o maior perdedor era o Brasil”, disse o deputado, em referência as intensas críticas trocadas, que tem como pano de fundo a disputa pela sucessão na Casa.

Entre os pontos de discordância entre o Planalto e Maia estava a PEC dos municípios, considerada uma “pauta bomba”. Inicialmente, Rodrigo Maia havia anunciado que a votação aconteceria nesta terça-feira, data da última sessão parlamentar antes do recesso de fim de ano, chegando a dizer que a inclusão da proposta não tinha qualquer relação com a disputa pela sua sucessão. No entanto, o presidente acabou recuando e não colocando em votação o projeto, o que foi comemorado pelos parlamentares. Embora positiva – e necessária para as cidades, a possível aprovação em meio à pandemia não era bem vista por parte dos deputados, que questionavam o maior envidamento da União. “A PEC é sim importante para os municípios, mas tudo tem hora. É preciso primeiro distribuir atribuições para os municípios e desinchar a máquina pública. O problema é que a conta a União já é muito alta e o governo já está endividado, ainda mais em um ano de pandemia. Não adianta [aumentar o repasse] se não reduzir o custo da máquina em Brasília. É preciso, primeiro, fazer uma reforma administrativa descente e depois podemos falar em redistribuição de recursos.”

Marcel Van Hattem avaliou ainda o período de Rodrigo Maia à frente da presidência da Câmara. Segundo ele, é inegável que o deputado foi “importante para a história recente” do país, citando a aprovação da reforma da previdência como ponto alto do mandato de Maia. No entanto, pelos diversos atritos com o governo Bolsonaro e seus ministros, a avalição final é menos positiva. “O mais importante é ter um presidência da Câmara que pense primeiro no Brasil. O Rodrigo Maia foi muito bem na época da reforma da previdência, ele foi importante. Mas desde então, os atritos com o governo foram muito ruins, e vice-versa. O próprio presidente acaba jogando responsabilidades sobre o parlamento. O presidente colocou na conta da Câmara a não aprovação do 13 do Bolsa Família, mas quem, de fato, não quis votar foi o governo. O governo pediu para retirar da pauta e o presidente Jair Bolsonaro disse em uma live que deveriam cobrar o Rodrigo Maia”, afirma, ressaltandos os pontos negativos de ambos os lados.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 23 de dezembro de 2020.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 23 de dezembro de 2020.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

AGU recorre de decisão que determinou a realização do Censo 2021

AGU recorre de decisão que determinou a realização do Censo 2021

A Advocacia-Geral de União (AGU) recorreu de uma liminar do ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF) que ordenou a realização do Censo 2021. O julgamento no plenário da Corte deverá começar nesta sexta-feira, 7. A defesa do governo pede que o Supremo...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *