PEC Emergencial, reformas tributária e administrativa: as prioridades da chapa de Arthur Lira

Postado em 9 de janeiro de 2021

Na mesma semana em que iniciou uma série de viagens pelo Brasil, a campanha de Arthur Lira (PP-AL), candidato à presidência da Câmara dos Deputados, anunciou a agenda de reformas que será priorizada por sua chapa em caso de vitória na eleição, marcada para o dia 1º de fevereiro. Entre as matérias consideras prioritárias pelo chapa encabeçada pelo líder do Centrão estão, em primeiro lugar, a PEC Emergencial e, na sequência, as reformas tributária e administrativa. Apoiado pelo governo do presidente Jair Bolsonaro, Lira e aliados enfrentarão o presidente nacional e líder do MDB na Câmara, Baleia Rossi (MDB-SP), postulante escolhido pelo atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para sucedê-lo.

Relatada pelo senador Márcio Bittar (MDB-AC), a PEC Emergencial enfrenta resistência entre os parlamentares, fator que resultou no adiamento da apresentação do parecer do emedebista à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. A matéria tem como principal objetivo regulamentar o Teto de Gastos com gatilhos fiscais. A proposta sempre foi defendida pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, entusiasta do tema. No dia 31 de dezembro, Maia voltou a defender a aprovação da PEC em seu perfil no Twitter. “Sem a aprovação da PEC Emergencial, só existe uma forma de cumprir o Teto de Gastos: acreditar que o governo federal enviou a LOA [Lei de Diretrizes Orçamentárias] com superestimativa nos valores encaminhados para a Previdência”, diz a publicação.

Para vencer a eleição pela presidência da Câmara dos Deputados, o candidato precisa alcançar, no primeiro turno, 257 votos. Caso esta quantidade não seja alcançada, os dois nomes mais votados disputarão um segundo turno. O bloco de apoio a Baleia Rossi, costurado por Maia e seus aliados, reúne 10 partidos (PT, DEM, PDT, PSB, MDB, Cidadania, Rede, PV, PcdoB, PSDB) que, somados, possuem 229 parlamentares. Arthr Lira, por sua vez, conta com o apoio de 11 legendas (Progressistas, PL, Avante, Republicanos, Solidariedade, PSD, PTB, PROS, PSC, Patriota e PSL), que contam com 256 deputados. Quando o emedebista foi anunciado como candidato à sucessão de Maia, o PSL integrava o bloco – o presidente nacional do partido, Luciano Bivar (PSL-PE), participou, inclusive, de uma coletiva de imprensa ao lado de Maia e Rossi. Nesta quinta-feira, 7, porém, a Jovem Pan mostrou que a ala bolsonarista do partido assinou uma lista, de autoria do deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), formalizando a adesão ao bloco de Lira.

O episódio teve repercussão imediata e deve gerar uma briga jurídica dentro do partido. Isto porque boa parte dos 32 deputados que assinaram a lista estão com suas atividades parlamentares suspensas. A medida é um dos desdobramentos da crise que aflige o PSL desde outubro de 2019, quando o presidente Jair Bolsonaro, então filiado à legenda, disse a um apoiador que Bivar estava “queimado para caramba”. Caso prevaleça o entendimento de que as assinaturas dos suspensos são inválidas, o PSL não poderá integrar o bloco de Lira. Há, ainda, a possibilidade de a cúpula do partido expulsar os parlamentares que não apoiarem a candidatura de Baleia Rossi.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: André Siqueira.
Data de Publicação: 9 de janeiro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

‘A luta é dura e árdua’, disse Bruno Covas em sua última carta

‘A luta é dura e árdua’, disse Bruno Covas em sua última carta

Em sua última carta, o prefeito Bruno Covas (PSDB) agradeceu às manifestações de apoio dos companheiros de partido e afirmou que, “de cabeça erguida”, estava enfrentando os “desafios que a vida (lhe) impõe”. “A luta é dura e árdua, mas não esmoreço e sigo em frente”,...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *