‘Manaus é resultado da política caótica da saúde pública do governo federal’, diz Doria

Postado em 16 de janeiro de 2021

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), responsabilizou o governo do presidente Jair Bolsonaro pelo colapso da rede hospitalar do Amazonas. Nesta quinta-feira, 14, Manaus, a capital do estado, enfrentou o esgotamento do oxigênio em diversas unidades de atendimento, entre elas o Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV). Como a Jovem Pan mostrou, diante da escassez, médicos tiveram que realizar a oxigenação manual dos pacientes. “Manaus é resultado da política caótica da saúde pública do governo federal”, disse Doria. “Não é razoável imaginar que uma situação de caos como vive a capital manauara seja debitada na conta de um prefeito ou de um governador. Temos um governo federal para quê? Temos um Ministério da Saúde para quê? Para acusar prefeitos e governadores ou para agir em defesa e proteção da saúde e da vida de todos os brasileiros em qualquer parte do país?”, acrescentou o governador.

Doria também chamou o presidente de “facínora” e afirmou que “o governo Bolsonaro gosta do cheiro da morte, não de celebrar a vida, pois se quisesse celebrar a vida, já teria contribuído com o estado do Amazonas”. Sem usar a palavra impeachment, ele pediu que deputados, senadores e demais políticos tomem medidas no sentido de frear seu rival político. “Reaja Brasil. Reaja, Congresso Nacional. Reajam, governadores, reajam, prefeitos, reajam, dirigentes sindicais, reajam, formadores de opinião. Ampliem a reação da imprensa, um dos poucos segmentos do país que têm se mantido a contrapor-se ao facínora que governa o país”, esbravejou o tucano.

Além de criticar o governo federal, o governador de São Paulo disse que vai enviar 40 respiradores produzidos pela Universidade de São Paulo para o Amazonas. O primeiro lote de respiradores parte ainda nesta sexta-feira; o último chega até terça-feira, 19. A Latam se disponibilizou para encaminhar e transportar os respiradores imediatamente. Doria também anunciou a disponibilização de leitos públicos e o gerenciamento de leitos privados para os pacientes que precisarem ser transportados de Manaus.

Além disso, o governo paulista ofereceu atendimento para 60 bebês prematuros que podem ficar sem oxigênio no Estado da região norte do Brasil. “Já fizemos contato com o secretário de Saúde do Amazonas e ele está fazendo um levantamento de quantos bebês e gestantes ainda precisam na nossa assistência”, afirmou o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchtyen. Na tarde desta sexta-feira, 15, porém, o Ministério da Saúde divulgou uma nota, segundo a qual a pasta conseguiu cilindros de oxigênio para manter os recém-nascidos por mais 48h nos leitos de UTI em Manaus.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 16 de janeiro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

‘A luta é dura e árdua’, disse Bruno Covas em sua última carta

‘A luta é dura e árdua’, disse Bruno Covas em sua última carta

Em sua última carta, o prefeito Bruno Covas (PSDB) agradeceu às manifestações de apoio dos companheiros de partido e afirmou que, “de cabeça erguida”, estava enfrentando os “desafios que a vida (lhe) impõe”. “A luta é dura e árdua, mas não esmoreço e sigo em frente”,...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *