Além de Arthur Lira e Baleia Rossi, eleição para a Câmara já reúne mais seis candidaturas

Postado em 18 de janeiro de 2021

Com holofotes voltados para Arthur Lira e Baleia Rossi, a eleição para a presidência da Casa já reúne mais seis candidaturas. Apesar de terem chances remotas de vitória, elas devem tirar votos dos dois principais blocos e podem ser um fiel da balança no resultado final. O deputado Fábio Ramalho (MDB) é visto como uma potencial terceira força. Apesar de não ter o apoio formal de nenhum partido, ele busca adesões no baixo clero e tem influência na bancada mineira.

Ex-vice-presidente da Câmara dos Deputados, Ramalho é conhecido por organizar jantares com comida mineira nos fundos do plenário para parlamentares, servidores e jornalistas. É a segunda vez consecutiva que ele vai concorrer. Quem também se lançou candidato foi Alexandre Frota (PSDB). Ele entra na disputa com um discurso pró-impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Segundo ele, “são duas doenças que precisamos combater, a Covid-19 e Bolsonaro”.

Outro candidato de estilo polêmico é o deputado André Janones (Avante). Após dizer em plenário que revelaria os “canalhas” e “vagabundos” da Câmara, chegou a ser denunciado no Conselho de Ética. Com foco nas redes sociais, ele tem como plataforma a volta do auxílio emergencial. Mas admite que contabiliza poucos votos. “Publicamente eu posso te dizer que não chego a cinco nomes para nos apoiar. De forma sigilosa, talvez hoje a gente consiga chegar a 10 nomes.”

Já o deputado Capitão Augusto (PL) foi um dos primeiros a assumir a candidatura. Um dos líderes da chamada bancada da bala, ele busca reunir votos também nas bancadas religiosas e entre colegas bolsonaristas e militares — se dizendo o único candidato “verdadeiramente” de direita. Entre os chamados “outsiders”, um dos poucos com apoio do próprio partido é Marcel van Hattem (Novo). Apesar de a bancada ter apenas oito componentes, ele adota um discurso otimista dizendo que pode angariar mais votos no primeiro turno.

“Esta é uma eleição da convicção, é uma eleição da consciência tranquila. Uma convicção que vai ser expressa nas urnas.” O PSOL também optou por lançar candidatura própria: a deputada Luiza Erundina. O partido estava internamente dividido e avaliava a possibilidade de aderir, desde já, ao bloco de Baleia Rossi. Mas optou pelo voo solo por entender que a oposição precisa ter um candidato. A bancada já definiu que, caso haja segundo turno entre Baleia e Arthur Lira (PP), vai votar no candidato do MDB.

*Com informações do repórter Levy Guimarães

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 18 de janeiro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 18 de janeiro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *