Governo diz que entrega antecipada de vacinas gerou atraso na distribuição

Postado em 20 de janeiro de 2021

O Ministério da Saúde informou nesta segunda-feira, 18, que não pode ser responsabilizado pelos atrasos na chegada das vacinas da CoronaVac aos estados brasileiros. Durante pronunciamento, o ministro Eduardo Pazuello lembrou que a ideia inicial do governo era iniciar a imunização apenas nesta quarta-feira, 20. Por isso, segundo ele, toda a estratégia teve que ser revista, já que os governadores pediram que o envio fosse antecipado. “Aquilo que era planejado até hoje 8 horas para acontecer durante o dia está sendo encurtado para atender o pedido dos governadores. Imagina a mudança da logística para 26 estados em um país continental como o Brasil”, afirmou. O anúncio do início da vacinação contra a Covid-19 nesta segunda, no entanto, foi feito pelo próprio ministro durante pronunciamento ao lado das autoridades estaduais.

Ainda nesta segunda-feira, Pazuello se negou a responder perguntas sobre a solenidade que estava prevista para acontecer nesta semana em Brasília e que iria marcar o início da vacinação contra a Covid-19 no Brasil. Dentro do governo, a avaliação é que ficou evidente a falta de protagonismo do governo federal em um dos momentos mais importantes de combate à pandemia. Outra derrota da gestão Bolsonaro foi a nota divulgada pelo Supremo Tribunal Federal que diz ser falsa a afirmação de que o STF proibiu o governo federal de atuar contra a pandemia. A verdade, segundo o Supremo, é que o plenário da Casa decidiu que todos os entes federativos, União, estados e municípios, são responsáveis pelas ações de combate à doença.

O STF disse ainda que é preciso esclarecer que não é verdadeira a afirmação que circula nas redes sociais. No entanto, quem faz essa alegação é o próprio presidente Jair Bolsonaro. “Supremo Tribunal Federal diz que a responsabilidade de lockdown, de confinamento, de isolamento é exclusivo de Estados e municípios. Respeitei a decisão do Supremo e alguns querem botar no meu colo e do Pazuello que nós somos os genocidas”, disse o precisente em ocasião anterior. Nesta segunda-feira, Bolsonaro se reuniu com o primeiro ministro da Índia para discutir a questão envolvendo as vacinas da AstraZeneca que estão sendo produzidas no país. O Brasil espera a chegada de 2 milhões de doses do imunizante.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 20 de janeiro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *