Ernesto Araújo explicará ações do Itamaraty para compra de vacinas nesta quarta

Postado em 24 de março de 2021

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal vai receber, em sessão remota nesta quarta-feira, 24, o ministro das Relações Exteriores. O objetivo é que Ernesto Araújo forneça informações sobre a atuação da pasta na compra de vacinas contra a Covid-19. O requerimento foi feito pelo senador Fabiano Contarato (REDE). Em sessão desta terça-feira, o parlamentar lembrou do alto número de mortes e disse que há mais vidas em jogo. “Cabe a nós, senadores, fazer a sua mea culpa para efetivamente dar uma resposta para a população brasileira e dar efetividade para esse bem jurídico que está sendo violado, tanto por ação quanto por omissão, do chefe do Executivo e dos ministro que passaram durante essa pandemia.”

O imbróglio atinge, por exemplo, as negociações com a vacina russa Sputnik V. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) elencou, em nota oficial, informações ainda não apresentadas pela farmacêutica União Química e pelo Instituto Gamaleya, para concluir o pedido de uso emergencial do imunizante. O impasse ocorre quando o outro lado discorda das condições. O representante da União Química, Miguel Giudicissi Filho, afirmou que vem solicitando o uso emergencial desde dezembro, mas que sempre são exigidos novos documentos. “Ao longo do tempo, o que parece é que nós não estamos entregando documentos, quando não é verdade. Entregamos os documentos e cada vez que entregamos existem novas exigências e nós cumprimos as novas exigências”, disse, afirmando que “o atraso na liberação” fez com que o Brasil “perdesse” 10 milhões de doses que poderiam ter sido adquiridas até março.

Em nota, a Anvisa falou sobre a falta de “aspectos de caracterização, produção e controle de qualidade da vacina”, bem como “a necessidade de se ter acesso aos dados brutos sobre os estudos clínicos da vacina, como é usual na avaliação de vacinas e medicamentos”. Segundo o Ministério da Saúde, a União Química entregará 400 mil doses do imunizante em abril, 2 milhões em maio e 7,6 milhões em junho. Ainda nesta terça-feira, a Anvisa informou que recebeu pedido de autorização do governo federal para importar 20 milhões de doses da vacina Covaxin, fabricada na Índia. Em fevereiro, a pasta da Saúde assinou contrato com o laboratório Bharat Biotech, com previsão para entrega dos imunizantes a partir deste mês.

*Com informações do repórter Fernando Martins

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 24 de março de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 24 de março de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *