Pacheco critica Ernesto Araújo e diz que Brasil precisa de ‘representatividade externa melhor’

Postado em 25 de março de 2021

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), subiu o tom contra a atuação chanceler Ernesto Araújo à frente do Ministério das Relações Exteriores. Em coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira, 25, Pacheco afirmou que o país precisa de uma mudança na política externa e destacou que, entre “muitos erros” no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, “um deles foi o não estabelecimento de uma relação diplomática, de produtividade, com diversos países que poderiam ser colaboradores desse momento agudo de crise que temos no Brasil”. O chefe do Senado também disse que a pasta está “muito aquém” do desejado.

Nesta quarta-feira, 24, Ernesto Araújo participou de uma audiência no Senado para dar detalhes da atuação do Itamaraty na busca por vacinas contra a Covid-19. O ministro foi criticado por diversos senadores, que pediram a sua saída. Para Pacheco, houve uma “frustração externada de maneira evidente em relação à política estabelecida no Ministério das Relações Exteriores”. “Muito além da personificação, o que se tem que mudar é a política externa. As relações internacionais precisam ser mais presentes, em um ambiente de maior diplomacia. É algo que está evidenciado a todos, não só no Congresso, mas a todos os brasileiros que enxergam a necessidade de o Brasil ter uma representatividade externa melhor do que tem hoje”, disse Pacheco.

Questionado se defende a saída de Araújo, o presidente do Senado afirmou que esta decisão cabe ao presidente Jair Bolsonaro. “Considero que só pode demitir quem admite. É papel do presidente, é prerrogativa do presidente. Ele haverá de tomar as melhores decisões para melhorar o governo. O Congresso tem buscado colaborar, todos são testemunhas de nossa busca pela pacificação, o trabalho sério. As críticas estão externadas, cabe ao presidente decidir quem é o melhor nome para conduzir o ministério”, disse.

A fritura de Ernesto Araújo não ocorre apenas no Senado. Como a Jovem Pan mostrou, na reunião com representantes dos três Poderes, na manhã desta quarta-feira, no Palácio da Alvorada, o presidente da Câmara, Arthur Lira, disse que o Itamaraty “precisa funcionar” e deve “deixar de lado a ideologia” para negociar com outros países o fornecimento de vacinas ao Brasil.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 25 de março de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 25 de março de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *