Após fala de Araújo, Dilma sai em defesa de Katia Abreu chama ex-chanceler de ‘nefasto e ridículo’

Postado em 29 de março de 2021

A ex-presidente da República Dilma Rousseff (PT), usou as redes sociais nesta segunda-feira, 29, para sair em defesa da senadora Kátia Abreu (PP-TO) após uma série de publicações do ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, expor uma reunião privada deles nas redes sociais e insinuar que a pressão para sua saída foi fruto de uma insatisfação por parte dela e de outros parlamentares do Centrão. “Em duas mensagens publicadas no twitter, a ex-presidente afirmou que a senadora sempre “agiu na defesa dos interesses do Brasil” enquanto o chanceler “desmoralizou o Itamaraty” e “Se indispôs, entre outros, com a China, com os EUA, com a Índia, com a Argentina e com a UE”. Dilma também chamou Araújo de “nefasto e ridiculo”, afirmando que ele “representava o governo neofascista de Bolsonaro”.

Um dia antes de pedir demissão, ainda no domingo, 28, Ernesto Araújo usou as redes sociais para insinuar que a pressão feita pelos parlamentares por sua saída estaria relacionada aos interesses de senadores na licitação da tecnologia 5G, que deve ocorrer ainda em 2021. Em dois tuítes, o chanceler relatou uma reunião com a senadora Kátia Abreu, atual presidente da Comissão de Relações Exteriores (CRE) da Casa, na qual ela teria pedido um “gesto em relação ao 5G”. “Em 4/3 recebi a Senadora Kátia Abreu para almoçar no MRE. Conversa cortês. Pouco ou nada falou de vacinas. No final, à mesa, disse: “Ministro, se o senhor fizer um gesto em relação ao 5G, será o rei do Senado.” Não fiz gesto algum. Desconsiderei a sugestão inclusive porque o tema 5G depende do Ministério das Comunicações e do próprio Presidente da República, a quem compete a decisão última na matéria”, diz a publicação.

Com a declaração de Ernesto, apoiadores do chanceler e do presidente Jair Bolsonaro passaram a atacar Kátia Abreu e outros membros do Centrão, que integram a base de apoio do governo federal no Legislativo, nas redes sociais. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, também usou as redes sociais para afirmar que a fala de Araújo atingia toda a Casa e era um “grande desserviço ao país”. Em nota, Kátia Abreu afirmou que Araújo, a quem chamou de “marginal”, resumiu “três horas de um encontro institucional a um tuíte que falta com a verdade” e faz coro por sua demissão.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 29 de março de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 29 de março de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *