Bolsonaro oficializa reforma ministerial com seis trocas, incluindo Defesa, Justiça e Itamaraty; veja lista

Postado em 29 de março de 2021

A tarde desta segunda-feira, 29, foi movimentada em Brasília. Isso porque o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou mudança de seis ministros. Ao todo, deixaram seus cargos Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, Fernando Azevedo, da Defesa, José Levi, da Advocacia-Geral da União, Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, Walter Braga Netto, da Casa-Civil, e André Mendonça, da Justiça e Segurança Pública. Destes, os três últimos foram remanejados, seguindo no governo federal. Até o momento, as saídas não foram publicada no Diário Oficial da União (DOU), mas foram confirmadas pela Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom). Enquanto a saída de nomes como o de Ernesto já eram esperadas, as mudanças nas demais pastas não estavam previstas e mostram uma reforma ministerial por parte do governo.

Confira quem entra e quem sai nas trocas ministeriais

Advocacia-Geral da União (AGU)
Deixa a pasta: José Levi Mello;
Assume a pasta: Ex-ministro da Justiça, André Mendonça;

No fim da tarde desta segunda, José Levi, advogado-geral da União, anunciou que irá deixar o governo de Jair Bolsonaro. O ex-ministro entregou sua carta de demissão ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), sendo o terceiro a perder o cargo ainda nesta tarde. “Com o meu elevado agradecimento pela oportunidade de chefiar a Advocacia-Geral da União, submeto à elevada consideração de Vossa Excelência o meu pedido de exoneração do cargo de Advogado-Geral da União”, disse o ministro em carta obtida pela Jovem Pan. O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, foi confirmado retornar à AGU e assumir a vaga deixada por Levi.

Casa Civil da Presidência da Repúlica
Deixa a pasta: General Braga Netto;
Assume a pasta: ex-ministro da Secretaria de Governo, General Luiz Eduardo Ramos;

O general Walter Braga Netto deixou a Casa Civil e irá ocupar o posto que antes era de Fernando Azevedo. O militar assumiu o cargo em fevereiro de 2020, substituindo o então ministro Onyx Lorenzoni, e, desde que a saída de Azevedo foi confirmada, foi o principal cotado para assumir o comando do Ministério da Defesa. Em seu lugar no comando da Casa Civil, assumirá o general Luiz Eduardo Ramos, que deixa a Secretaria de Governo.

Ministério da Defesa
Deixa a pasta: General Fernando Azevedo e Silva;
Assume a pasta: ex-ministro da Casa Civil, General Braga Netto;

A saída de Fernando Azevedo foi vista como uma surpresa. A confirmação foi feita através de uma nota assinada pelo próprio ex-ministro na qual ele agradeceu o presidente Jair Bolsonaro e disse sair do governo com a sensação de “missão cumprida”. “Agradeço ao presidente da República, a quem dediquei total lealdade ao longo desses mais de dois anos, e à oportunidade de ter servido ao país como ministro da Defesa. Nesse período, preservei as Forças Armadas como instituições de Estado. […] Saio na certeza de missão cumprida”. Entretanto, o motivo da demissão de Azevedo não foi confirmado até o momento. A saída do ex-ministro também pode ter impacto na Cúpula do comando do Exército Brasileiro. A Secom confirmou que o general Walter Souza Braga Netto, atual ministro-chefe da Casa Civil, irá assumir o cargo.

Ministério da Justiça e Segurança Pública
Deixa a pasta: André Mendonça;
Assume a pasta: Delegado da Polícia Federal Anderson Gustavo Torres;

Substituindo o ex-juiz Sergio Moro no comando da pasta, André Mendonça assumiu o Ministério da Justiça e Segurança Pública em 28 de abril de 2020. Na ocasião, ele deixou a Advocacia-Geral a União para ser empossado ministro. Ele retornará à AGU após sua saída da pasta e será substituído pelo delegado da Polícia Federal (PF) Anderson Gustavo Torres.

Ministério das Relações Exteriores:
Deixa a pasta: chanceler Ernesto Araújo;
Assume a pasta: diplomata Carlos Alberto Franco França;

A saída de Ernesto Araújo esteve em pauta nos últimos dias e aconteceu após pressão de parte do Congresso, especialmente do Senado. O chanceler vinha sendo criticado pela condução da política externa do Brasil, especialmente em questões como a da aquisição de vacinas contra a Covid-19. No Congresso, parlamentares creem que a atuação de Araújo prejudicou a interlocução do Brasil com países que poderiam fornecer imunizantes contra a doença. Os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) também criticaram o chanceler. Diante deste cenário, Araújo pediu demissão na manhã desta segunda-feira e comunicou a decisão à cúpula do Congresso por interlocutores do Palácio do Planalto. No começo da noite, a  Secom confirmou que o embaixador Carlos Alberto Franco França assumirá o comando da pasta.

Secretaria de Governo da Presidência da República
Deixa a pasta: General Luiz Eduardo Ramos;
Assume a pasta: Deputada federal Flávia Arruda (PL-DF).

Luiz Eduardo Ramos assumiu a Secretaria de Governo, responsável pela articulação política, em junho de 2019, e permaneceu no cargo até esta segunda, quando foi confirmado como novo ministro-chefe da Casa Civil, substituindo Braga Netto, que foi remanejado na reforma ministerial de Bolsonaro. A deputada federal Flavia Arruda (PL-DF), aliada do presidente da Câmara, Arthur Lira, foi a escolhida para substituir Ramos no principal cargo de articulação do governo, o que pode favorecer o Centrão.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 29 de março de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 29 de março de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

Rogéria Dotti participa de evento promovido pela AASP

Rogéria Dotti participa de evento promovido pela AASP

Nos dias 05 e 06 de agosto, acontece o evento “Desjudicialização da Execução Civil. Debate sobre o PL Nº 6.204/2019”, organizado pela Associação dos Advogados de São Paulo-AASP e coordenação de Flávia Ribeiro. Rogéria Dotti está confirmada para proferir palestra ao...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *