Braga Netto diz que golpe de 1964 deve ser celebrado em ‘contexto histórico’

Postado em 31 de março de 2021

No primeiro ato como novo ministro da Defesa, o general Walter Braga Netto defendeu a importância do golpe militar de 1964. Em ordem do dia, mensagem aos quartéis, ele afirmou que o golpe como parte da “trajetória história do país deve ser compreendido e celebrado”. O golpe, que completa 57 anos, deve ser analisado, ainda segundo o governo, como um processo histórico a partir do contexto da época em um momento, segundo Braga Neto, que as “Forças Armadas acabaram assumindo a responsabilidade de pacificar o País, enfrentando os desgastes para reorganizá-lo e garantir as liberdades democráticas que hoje desfrutamos.”

Ainda segundo a mensagem, Marinha, Exercício e a Aeronáutica acompanham as mudanças conscientes de sua missão constitucional de defender a Pátria, garantir os poderes constitucionais e seguros de que a harmonia e o equilíbrio entre os poderes preservarão a paz e a estabilidade no nosso país. No ano passado, o presidente Jair Bolsonaro classificou a data como dita da liberdade. E desde que assumiu tem incentivado comemorações nos quartéis. Neste ano, a data ficará marcada pelas mudanças anunciadas pelo presidente no comando militar. Depois de ter demitido na segunda-feira, 29, o ministro da Defesa Fernando Azevedo, o chefe do Executivo também determinou a substituição dos três comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica. A mudança significativa nas Forças Armadas, nesse momento de crise sanitária, acendeu sinal de alerta em Brasília. A grande reclamação é com o fato do presidente procurar demonstrações públicas de apoio dos comandantes militares que, até então, vinham evitado, resistindo, à politização nos quartéis.

No Congresso Nacional, a movimentação tem sido cuidadosamente acompanhada. O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, no entanto, evitou polemizar, afirmando que as substituições são normais e que não é hora de especulação. Pacheco disse ainda que a obrigação dele é acreditar e confiar que se trata apenas de um rearranjo dentro do governo. “As Forças Armadas, que têm um compromisso constitucional de não promover a guerra, mas de garantir a paz. Esse é o compromisso das Forças Armadas. Temos plena e absoluta confiança nisso, nesse amadurecimento civilizatório do brasil, de preservação absoluta do Estado Democrático de Direito, do qual fazem parte as Forças Armadas”, disse. O deputado general Girão minimizou as polêmicas. Ele classificou as mudanças como normais e disse que o problema é que, atualmente, existe uma guerra política no país. “Ministro da Defesa é muito importante, é o mantenedor da garantia de que teremos soberania, teremos paz em nosso território nacional.”

*Com informações da repórter Luciana Verdolin

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 31 de março de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 31 de março de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *