Especial Lava Jato: Sergio Moro, o homem que virou símbolo de combate à corrupção

Postado em 6 de abril de 2021

Além da Lava Jato mirar figuras do Congresso Nacional, o Legislativo também virou centro de debates sobre medidas de combate à corrupção. As ações propostas pela força tarefa em Curitiba, com apoio de Sergio Moro, foram discutidas com a sociedade. Nas redes sociais, o procurador Deltan Dallagnol pressionava os parlamentares. As medidas previam tornar crime o enriquecimento ilícito, aumentar as penas para corrupção e caixa dois e ampliar a recuperação do dinheiro. Com mais de dois milhões de assinaturas, o pacote se transformou em um projeto de lei. Começava uma guerra no Congresso.

O então deputado Onyx Lorenzoni virou relator das 10 medidas e chegou a ser vaiado em plenário. As ações foram desfiguradas e os contrários a Lava Jato propuseram ações como a lei de abuso de autoridade para punir magistrados. Na tribuna, o senador Lasier Martins lamentava. “Houve uma decepção muito grande e me parece que uma desilusão definitiva do eleitorado brasileiro que já não confiava, não concedia muito crédito aos políticos.” A Associação Nacional dos Procuradores da República reagiu aos ataques a Lava Jato. O magistrado pelo Amazonas Edmilson Barreiros Júnior considerava descabida a lei de abuso de autoridade.

Os advogados envolvidos na Lava Jato nunca perderam a chance de denunciar irregularidades na operação. E Sergio Moro no olho do furacão. O então juiz foi ao Congresso pedir ajuda para aprovar as 10 medidas, mas o Congresso não foi sensível enquanto que as ações contra os poderosos continuavam em andamento. O promotor de Justiça César Dario Mariano avalia que, mesmo com os insucessos, a Lava Jato trouxe avanços. “Destacam-se, por exemplo, a colaboração jurídica internacional, delações premiadas, emprego de forças tarefas, quebras de sigilo bancário, indisponibilidade de bens — que conseguiram, de uma maneira conjunta, acabar ou pelo menos reduzir a corrupção sistêmica existente no Brasil.”

O debate sobre o combate a corrupção chegou na campanha eleitoral de 2018. E o vencedor nas urnas, Jair Bolsonaro, anunciava que a Lava Jato não seria esquecida. O presidente transformou Sergio Moro, agora ex-juiz, em super ministro da Justiça e Segurança Pública. No entanto, Moro deixou o governo pela porta dos fundos um ano e quatro meses depois de assumir o Ministério. A decisão de Jair Bolsonaro de trocar o diretor geral da Policia Federal, Mauricio Valeixo, pegou o ex-juiz de surpresa.

“O grande problema é que não é tanto essa questão de quem colocar, mas porque trocar. E permitir que seja feita a interferência politica no âmbito da Polícia Federal“, disse o então ex-ministro durante a demissão. Sergio Moro continuou discutindo, no Congresso, o pacote anticrime proposto por ele nos tempos de pasta. Trabalhando na iniciativa privada, Sergio Moro não saiu das manchetes dos jornais. o Supremo Tribunal Federal poderia julgar a qualquer momento a suspeição dele em processos contra o ex-presidente Lula. E foi justamente o que fez o STF.

*Com informações de Thiago Uberreich e Adriana Reid

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 6 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 6 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

Rogéria Dotti participa de evento promovido pela AASP

Rogéria Dotti participa de evento promovido pela AASP

Nos dias 05 e 06 de agosto, acontece o evento “Desjudicialização da Execução Civil. Debate sobre o PL Nº 6.204/2019”, organizado pela Associação dos Advogados de São Paulo-AASP e coordenação de Flávia Ribeiro. Rogéria Dotti está confirmada para proferir palestra ao...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *