Lira quer urgência em votação de texto que altera Lei de Segurança Nacional

Postado em 8 de abril de 2021

Os presidentes da Câmara e do Senado e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) defendem mudanças na Lei de Segurança Nacional para preservar a democracia. A legislação atual é de 1983, ainda do período da ditadura, e vem sendo usada para tentar punir críticos do governo. Ações no Supremo e projetos no Congresso Nacional questionam as normas editadas antes da atual Constituição Brasileira. O ministro Luís Roberto Barroso avalia que a Lei de Segurança foi feita para uma outra época. “Essa lei que é a que está em vigor tem inconstitucionalidades variadas e dispositivos que são incompatíveis com a Constituição de 1988. Ela tem uma certa incompatibilidade de sistemas, ela foi feita para outro mundo e outra época”, justificou, acrescentando que as mudanças devem estar em sintonia, por exemplo, com o mundo digital.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP) disse que a Lei de Segurança Nacional precisa ser revista de forma rápida. “Nós precisamos inseri-la dentro do Código Penal, essa é a direção básica do trabalho que a deputada Margareth junto com outros deputados está conduzindo nesta Casa. E não tenho dúvida nenhuma que contará com a unanimidade de toda a Câmara dos Deputados”, afirmou. Lira quer votar a urgência no texto que altera o dispositivo. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), acredita que o momento exige uma discussão da Lei de Segurança Nacional.  De acordo com a OAB, mais de 70 processos com base na lei foram abertos nos últimos meses no Brasil.

*Com informações da repórter Caterina Achutti

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 8 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 8 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

Governo não deve ter maioria na CPI da Covid-19; entenda

Governo não deve ter maioria na CPI da Covid-19; entenda

Após a determinação do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), leu na sessão desta terça-feira, 13, o requerimento que cria a CPI da Covid-19. As apurações não ficarão restritas ao governo do...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *