STF retoma nesta quinta julgamento sobre abertura de templos na pandemia

Postado em 8 de abril de 2021

O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma nesta quinta-feira, 8, o julgamento sobre a realização de cultos e missas com a presença de fiéis durante a pandemia de Covid-19. Nesta quarta, o ministro Gilmar Mendes votou contra a liberação. Relator do processo, ele foi o primeiro a votar e ainda ironizou o Advogado-Geral da União, André Mendonça, dizendo que ele estaria em Marte e não dentro da realidade atual. Antes do inicio da votação entidades com posições favoráveis e contrárias puderam se manifestar. Mendonça traçou um paralelo entre as celebrações e o transporte ao defender a abertura a frequência dos fiéis.

“Vamos comprar situações fáticas similares. Como estão nossos ônibus, nossos trens, nosso sistema aéreo?”, questionou. O ministro Gilmar Mendes ironizou a declaração e rebateu. “Quando a sua excelência fala dos problemas dos transportes no Brasil, especialmente do transporte coletivo, e fala do problema do transporte aéreo com acumulação de pessoas, eu poderia ter entendido que sua excelência teria vindo, agora para a tribuna do Supremo, de uma viagem a Marte”, disse. O magistrado falou que Mendonça se eximiu de responsabilidades. “Mas sua excelência foi verificar aqui, ‘googlar’ como dizem os mais jovens, e verifiquei que ele era ministro da Justiça. E que tinha responsabilidades institucionais, inclusive de propor medidas. à União cabe legislar, diz o artigo 22, sob diretrizes da política nacional de transporte. Me parece que está havendo um certo delírio nesse contexto geral. É preciso que cada um de nós assuma a sua responsabilidade. Isto precisa ficar muito claro.”

Já o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, remeteu à Constituição de 1988 para defender a volta dos cultos presenciais. “A lei maior vigente, que é a Constituição, dá ao cidadão o direito ao livre exercício aos cultos religiosos, tem como elemento intrínseco o direito de estar no templo e participar do culto. A Constituição de 88, portanto, assegurou o culto público coletivo”, afirmou. Após o voto de Gilmar Mendes o julgamento foi interrompido e será retomado nesta quinta-feira, 8, às 14h, com voto do ministro Kássio Nunes Marques, responsável pela autorização para as celebrações presenciais.

*Com informações do repórter Daniel Lian

 

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 8 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *