Compra de vacinas por empresas encontra resistência no Senado

Postado em 9 de abril de 2021

O Senado Federal não pretende acelerar a votação do projeto que permite a empresas privadas comprar vacinas contra a Covid-19 para imunizar os próprios funcionários. Os parlamentares devem deixar para discutir na semana que vem se vão ou não pautar o texto, que foi aprovado na última quarta-feira pela Câmara dos Deputados. A proposta permite que metade das doses adquiridas por empresários seja aplicada nos trabalhadores da empresa. A outra metade deve ser repassada ao Sistema Único de Saúde (SUS). Se os imunizantes forem comprados junto a laboratórios que já venderam vacinas ao governo federal, a entrega das doses só pode ocorrer depois que as entregas ao Ministério da Saúde forem concluídas.

O líder do PSD, senador Nelsinho Trad, apresentou um projeto de lei semelhante. Ele apoia a ideia e ressalta que empresas privadas também devem adotar como referência o Plano Nacional de Imunização (PNI). “É ele que tem a forma de executar aquilo que será debatido e exaurido. Com isso, as duas filas vão acabar sendo agilizadas e a imunidade coletiva, imunidade de rebanho, passa a ficar em um horizonte mais perto para ser atingida”, disse. Porém, o projeto encontra mais resistência no Senado do que enfrentou na Câmara. Para o líder do MDB, senador Eduardo Braga, a proposta pode estimular um “vale tudo na corrida pela vacina”.

A senadora Eliziane Gama, do Cidadania, acredita que o foco deveria ser outro. “O que nós precisamos, na verdade, é ampliação de vacina. precisamos desburocratizar, precisamos que o Ministério de Relações Exteriores do Brasil saia da letargia. E não nós legalizarmos um fura fila e estabelecermos apenas para as grandes empresas, porque apenas elas terão acesso a essa compra de vacinas”, afirmou. A pedido da senadora Eliziane Gama, a comissão do Senado que acompanha o combate à Covid-19 vai fazer uma audiência pública na semana que vem para debater a aquisição de vacinas pelo setor privado. Nesta quinta, em audiência no mesmo colegiado, representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) se colocaram contra o projeto.

*Com informações do repórter Levy Guimarães

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 9 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *