Objeto da CPI da Covid-19, crise em Manaus não é responsabilidade do governo, diz Eduardo Gomes

Postado em 13 de abril de 2021

O Senado Federal aguarda a sessão desta terça-feira, 13, para discutir o futuro da CPI da Covid-19. A instalação do colegiado na Casa, que tem como objeto investigar a atuação do governo federal no combate à pandemia, acontece após determinação do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). A expectativa é que Pacheco anuncie detalhes sobre o funcionamento da comissão, explica o líder do governo, senador Eduardo Gomes. “A CPI é uma realidade nas suas várias versões porque há necessidade de apurar e analisar o que foi feito na pandemia, a grande dúvida é como acontecer a CPI nesse momento, de maneira remota ou com as condições que o Senado tem, que o Congresso tem de trabalho. Como é uma determinação da Justiça, a gente aguarda encaminhamento do presidente Rodrigo Pacheco para saber se a CPI acontecerá agora ou no momento que forem possíveis as sessões presenciais”, disse em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan.

Eduardo Gomes lembrou que a proposta de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) apresentada pelos senadores Randolfe Rodrigues e Alessandro Vieira tem como objeto a crise em Manaus, tema que, segundo o parlamentar, não é de responsabilidade do governo federal. “O que a gente sabe que está na transparência é que o governo transferiu recursos consideráveis à prefeitura de Manaus e para o governo do Amazonas. Depois dessa transferência de recursos, a falta de oxigênio no Amazonas, que não é de responsabilidade do governo federal já que mandou recursos para hospitais municipais e federais, a falta de oxigênio causou toda a crise. Mesmo assim retornou ao Amazonas, mandou a força do SUS  duas vezes e o próprio ministro Pazuello foi à Manaus e coordenaram a reação à crise”, defendeu, citando que a região representa atualmente o menor índice de mortes e infecções pelo coronavírus. “O governo federal não criou o problema, mas voltou lá e resolveu. Tenho discutido com alguns parlamentares que nessa questão o governo está sendo acusado e pode, nesse caso específico, deixar claro para a população brasileira que fez a parte dele e resolveu a crise depois. Esse tiro pode sair pela culatra.”

Sobre a possibilidade de uma CPI mista, o líder do governo no Senado afirmou que esse é o debate atual. Novamente citando que o objeto inicial da comissão é que crise no Amazonas, Eduardo Gomes lembrou que para a instalação de outra CPI é preciso que “outros fatos determinados venham à tona” e seja analisado o funcionamento durante período de crise sanitária. “Como funcionar uma CPI, no caso do Senado, por exemplo, em uma instituição que teve 4% da sua composição atingida diretamente pela Covid-19, três senadores faleceram? Não há reserva de grupo de risco, a gente está vendo que no Brasil está morrendo gente de todas as idades. 0 Não vejo a mínima possibilidade de funcionamento no sistema presencial dessa ou de qualquer outra CPI nesse momento.”

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 13 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

‘A luta é dura e árdua’, disse Bruno Covas em sua última carta

‘A luta é dura e árdua’, disse Bruno Covas em sua última carta

Em sua última carta, o prefeito Bruno Covas (PSDB) agradeceu às manifestações de apoio dos companheiros de partido e afirmou que, “de cabeça erguida”, estava enfrentando os “desafios que a vida (lhe) impõe”. “A luta é dura e árdua, mas não esmoreço e sigo em frente”,...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *