Curitiba é incompetente para julgar Guido Mantega, diz 2ª Turma do STF

Postado em 21 de abril de 2021

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou na terça-feira, 20, que a Justiça Federal em Brasília era a responsável para julgar denúncia contra Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda. Tal situação é levantada por investigações da operação Lava Jato. O placar foi de 3 votos a 2, mantendo a turma o entendimento do ministro Gilmar Mendes. Isso porque em 2019, em decisão individual, decidiu que o caso não era de competência da Lava Jato no Paraná. Com isso, em 2020, a 12ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal rejeitou a denúncia apresentada contra Mantega. A investigação dizia que o ex-ministro teria recebido propinas da Odebrecht em troca de apoio ao chamado “refis da crise”. A acusação aponta que Mantega teria recebido R$ 50 milhões de maneira ilegal.

A Procuradoria-Geral da República recorreu da decisão individual de Gilmar, mas a maioria do colegiado confirmou o despacho do ministro. Na terça-feira, em seu voto, o ministro afirmou que, em muitos casos, houve uma “manipulação do foro”. “A partir dessa modelagem, de varas com super-competências, começam a florecer ambientes de corrupção nos locais que deviam ser focos de combate à corrupção. Isto é preocupante”, disse Gilmar. A defesa de Mantega disse que felizmente o Supremo Tribunal Federal reconheceu a decisão do ministro Gilmar Mendes e manteve o caso em Brasília onde, inclusive, a denúncia já havia sido rejeitada. O voto do relator foi seguido pelos ministro Nunes Marques e Ricardo Lewandowski. O ministro Edson Fachin e a ministra Cármen Lúcia discordaram do relator.

*Com informações do repórter Fernando Martins

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 21 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *