Bolsonaro defende atuação de Pazuello em Manaus; Wajngarten culpa general por falta de vacinas

Postado em 23 de abril de 2021

O presidente Jair Bolsonaro recebe, em Manaus, o título de cidadão do Amazonas. O Estado ainda sofre os traumas do colapso nos hospitais ao ter pacientes de Covid-19 morrendo sufocados por falta de oxigênio.  Durante live nesta quinta-feira, 22, Bolsonaro afirmou que ninguém esperava tamanha crise. O presidente também  defendeu o trabalho do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. “Foi me concedido o título de cidadão manauara, isso é sinal que o nosso trabalho em Manaus, o meu trabalho, do Pazuello como ministro, foi muito bem feito na região. Lamentamos a crise que teve lá, mortes, uma coisa que chocou a todos nós”, disse. A atuação do governo federal na região e, especialmente de Pazuello, estará no centro das atenções da CPI da Covid-19 no Senado. Em entrevista à revista Veja, o ex-secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, culpa a equipe coordenada pelo general no Ministério da Saúde como responsável direta pelo atraso da vacinação. Ele cita que o acordo com a Pfizer “não teria avançado por incompetência e ineficiência dos gestores da pasta” e diz que “se a compra tivesse sido efetivada, a vacinação no Brasil poderia ter começado em dezembro e estaria hoje numa etapa muito mais adiantada.”

Wajngarten, porém, exime o presidente de qualquer responsabilidade. Segundo ele, “Bolsonaro sempre se preocupou com todos os lados da crise e sempre disse que compraria as vacinas quando elas fossem aprovadas pelos órgãos sanitários’.  Integrantes da CPI da Covid-19 já avaliam convocar Fabio Wajngarten para depor. Nesta quinta, o senador Eduardo Girão, candidato à presidência do colegiado, propôs um plano alternativo de trabalho. Aliado do governo, o parlamentar enfatiza que a comissão deve ser “ampla, justa e independente”. “Acreditamos que essa CPI precisa fazer certos questionamentos, chamar certa autoridades aqui, sempre dando direito do contraditório, da ampla defesa, sem pré-julgamentos. Mas chamar algumas autoridades do Brasil, tanto do governo federal, como do Ministério Público para que a gente possa ver questões estaduais de verbas”, disse. Ele sugere que o ministro do Supremo, Marco Aurélio Mello, e o médico Ricardo Zimerman, defensor do tratamento precoce contra o coronavírus, sejam chamados para testemunhar. A primeira reunião da comissão está marcada para terça-feira, quando serão definidos o presidente e o relator.

*Com informações da repórter Letícia Santini

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 23 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *