Queiroga descarta possibilidade de um lockdown nacional e defende implantação de um protocolo de atendimento

Postado em 25 de abril de 2021

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, descartou a possibilidade de um lockdown nacional. O ministro fez questão de ressaltar, em entrevista à imprensa no sábado, 24, que a aplicação de medidas restritivas para conter a pandemia do coronavírus é uma decisão dos governadores. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é contra e Queiroga já deu todas as sinalizações de que não vai bater de frente com o presidente. O ministro tem afirmado que, ao invés do lockdown, deve se fortalecer medidas como a utilização de máscaras, álcool em gel e distanciamento social. O ministro também deixou muito claro que não vai entrar nessa briga do presidente Jair Bolsonaro com os governadores.

Sobre a vacinação, o que já se sabe até o momento é que serão 572 milhões de doses de vacina até o final do ano. A previsão de entregas para os meses de maio, junho e julho mudou para 31% a menos. O Brasil está tendo problemas com a Covaxin e há muita resistência da Anvisa em liberar a compra da Sputnik V. A agência tem reclamado que faltam documentos e que o laboratório russo estaria segurando informações. Na segunda-feira, 26, a Anvisa deverá decidir se aprovará ou não o pedido do governo do Maranhão de aprovação de importação da vacina. Até o final de abril deverão ser entregues 26,6 milhões de doses, sendo que vão chegar até a próxima quinta-feira, 29, 1 milhão de doses da Pfizer. Em maio, serão 32 milhões de doses e em junho, 54 milhões. O ministro sinalizou que a meta fixa será de vacinar 1,7 bilhão brasileiros por dia. Queiroga ainda afirmou que é preciso definir um protocolo de atendimento para a Covid-19. Não quer dizer que serão recomendados medicamentos para o tratamento, mas será colocado o que os profissionais de saúde precisam observar na hora de atender um paciente com a doença. “Não é um protocolo para uso de fármaco A ou fármaco B. O tratamento da covid é muito mais amplo do que um único fármaco”, afirmou Queiroga.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 25 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *