‘Apesar de gestão desastrosa de Salles, CPI não terá minha assinatura’, diz Marcelo Ramos

Postado em 28 de abril de 2021

Em meio à repercussão das acusações feitas pelo delegado Alexandre Saraiva sobre a atuação de Ricardo Salles na Amazônia, partidos de oposição na Câmara dos Deputados começam a articular a instalação de uma “CPI da Devastação Ambiental“, com o objetivo de investigar supostos crimes cometidos pelo ministro do Meio Ambiente. No entanto, com o avanço da comissão da Covid-19 no Senado Federal, a proposta pode enfrentar resistências dos parlamentares, que criticam a possível paralisação de outras pautas, explica o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL). “Não concordo com a instalação de CPI, não é o momento para paralisar a Câmara. A CPI sabe como começa e não sabe como termina. Não acho que seja o momento de instalar a CPI na Câmara”, afirmou em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, garantindo que a proposta para criação da Comissão Parlamentar de Inquérito não terá sua assinatura.

O deputado citou a reforma administrativa e a proposta tributária como outros temas que precisam avançar no Legislativo, assim como a privatização dos Correios e a capitalização da Eletrobrás. Entretanto, embora afirme que não vai apoiar a instalação da CPI contra Salles nesse momento, Marcelo Ramos criticou a gestão do ministro na pasta ambiental, falando até de consequências para a economia do Brasil. “A gestão do ministro Ricardo Salles é desastrosa, que faz mal pro país, compromete a imagem internacional do país, compromete o comércio exterior, porque cria barreiras para o agronegócio, para as atividades exportadoras”, afirmou, reforçando, no entanto, a importância do andamento de outras propostas. “Não acho que a gente deva paralisar a Câmara, a despeito de ser crítico e achar um atraso a gestão de Ricardo Salles.”

Apesar de avaliar negativamente os trabalhos do ministro, o vice-presidente da Câmara lembrou que Ricardo Salles cumpre a política ambiental do governo de Jair Bolsonaro. “Quem ganhou foi o presidente Bolsonaro, é a política dele implementada no mistério do meio ambiente, como em todos os mistérios. Não dá parar querer que um presidente com um discurso pouco comprometido vença a eleição e depois você tenha um ambientalista no mistério do meio ambiente”, disse, lembrado que cabe ao Legislativo “fazer críticas pelos equívocos da politica sedo conduzia pelo governo”, não escolher o ministro. O processo de instalação da “CPI da Devastação Ambiental”, como foi chamada pelo deputado Marcelo Freixo (PSOL), passa pelo recolhimento de assinaturas dos deputados. Ao todo, é necessário o apoio de 171 parlamentar para o pedido de criação da comissão, que deve passar pela decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 28 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *