Augusto Aras não vê crime em conversa entre Bolsonaro e Kajuru e pede arquivamento

Postado em 28 de abril de 2021

O procurador-geral da República, Augusto Aras, se posicionou junto ao Supremo Tribunal Federal contra a possibilidade de crime no diálogo entre o presidente Jair Bolsonaro e o senador Jorge Kajuru. O parlamentar do Podemos gravou e divulgou o áudio sobre a CPI da Covid-19. A Comissão Parlamentar de Inquérito foi instalada nesta terça-feira, 27, no Senado. Aras apresentou seu parecer após ação de deputados do PSOL. Os parlamentares alegam que Bolsonaro cometeu os crimes de advocacia administrativa e corrupção ativa. O ministro Kassio Nunes Marques, indicado no ano passado ao STF pelo presidente Jair Bolsonaro, é o relator do processo. Aras pediu o arquivamento do caso e há a expectativa de que Nunes Marques siga o entendimento do procurador-geral.

A conversa foi divulgada no dia 11 de abril, três dias após o ministro do STF, Luís Roberto Barroso, determinar a instalação da CPI. No diálogo, Bolsonaro cobra a ampliação do foco da comissão aos estados e municípios, além das ações do governo federal na pandemia. O PSOL sustenta que Bolsonaro cometeu o crime de advocacia administrativa, ao utilizar o seu cargo para defender interesses próprios e corrupção ativa, pela oferta de apoio político a Kajuru, pela ampliação do alcance da CPI. Em sua manifestação ao STF, Aras minimizou: uma “conversa informal” e “natural” o interesse de ambos pela CPI. “Não há como se extrair das falas transcritas que o presidente da República defendeu, ao manifestar-se pela ampliação da investigação, interesses particulares de outrem, tendo ele deixado claro tratar-se, sob seu ponto de vista, do melhor cenário para o País”, afirmou Aras no processo.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 28 de abril de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *