Lewandowski diz que gestores que atrasarem 2ª dose da vacina poderão ser punidos

Postado em 3 de maio de 2021

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF) disse que os gestores públicos poderão ser punidos em caso de atraso na aplicação da segunda dose da vacina contra Covid-19 por improbidade administrativa. A afirmação foi feita nesta segunda-feira, 3, quando o ministro suspendeu a decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) que autorizou o governo a alterar a ordem de vacinação de grupos prioritários. De acordo com o ministro, quaisquer ajustes na ordem de prioridade precisam ser feitos de seguindo critérios técnicos e científicos. Lewandowski disse ainda que, em casos de irregularidades, os gestores poderão ser responsabilizados. A decisão de Lewandowski suspendeu o decreto que anteciparia a vacinação de profissionais da educação e de forças de segurança no Rio de Janeiro. Os grupos seriam imunizados ao mesmo tempo que a população idosa do Estado. A suspensão será debatida em um plenário da Corte, no qual os ministros poderão opinar sobre o tema.

“As autoridades governamentais, acaso decidam promover adequações do plano [de vacinação] às suas realidades locais, além da necessária publicidade das suas decisões, precisarão, na motivação do ato, explicitar quantitativamente e qualitativamente as pessoas que serão preteridas, estimando o prazo em que serão, afinal, imunizadas”, disse o ministro, que acrescentou: “Sob pena de frustrar-se a legítima confiança daqueles que aguardam a complementação da imunização, em sua maioria idosos e portadores de comorbidades, como também de ficar caracterizada, em tese, a improbidade administrativa dos gestores da saúde pública local, caso sejam desperdiçados os recursos materiais e humanos já investidos na campanha de vacinação inicial”.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 3 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *