Salles reconhece que cortes no orçamento prejudicam atuação do Meio Ambiente

Postado em 4 de maio de 2021

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, reconheceu que os cortes no orçamento fragilizam a capacidade de atuação da pasta. “Inclusive com a incapacidade de abertura de vagas e reposição de falta de quadros, em razão de pessoas que se aposentam, que falecem, que mudam de profissão, que por razões pessoais ou não acabam deixando os órgãos públicos”, disse, durante oitiva na Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados. O ministro
cobrou que os críticos do governo federal destinem emendas ao orçamento da pasta. A declaração gerou discussão entre o membro do governo Bolsonaro e os parlamentares. “É a minha vez de falar, eu não terminei, eu estou falando aqui”, disse Salles, enquanto os deputados pediam respeito por parte do ministro.

Governistas e parlamentares da oposição se revezaram em intervenções acaloradas, mas Ivan Valente (PSOL) subiu o tom. “Questão de ordem, senhora presidente. Não tem questão de ordem no meio da fala, eu estou falando, palhaço. Eu peço que me reponha a palavra”, disse na ocasião. Também do PSOL, a deputada Vivi Reis cobrou Salles sobre sua conduta na apreensão de madeira e avanço no desmatamento. “Dificultar ação fiscalizadora do poder público no meio ambiente, exercer a advocacia administrativa e envergar negociações com organizações criminosas.”

Por sua vez, o filho do presidente Jair BolsonaroEduardo Bolsonaro saiu em defesa do ministro do Meio Ambiente. “A armação de um circo em torno da presença de um ministro de Estado como é do muito competente Ricardo Salles. Ele já foi na Comissão de Legislação Participativa, prestou esclarecimento com a questão da madeireira e o parabenizo pela sua coragem, ministro.” Ricardo Salles ressaltou que o orçamento da pasta sofre quedas desde 2014, quando passou de R$ 14 bilhões para R$ 9 bilhões, R$4,5 bilhões em 2015, com três anos seguintes na média de R$ 4 bilhões. No governo Bolsonaro, o valor chegou a R$ 3,9 bilhões, R$ 3,2 bilhões e agora, em 2021, R$ 2,9 bilhões.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 4 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

AGU recorre de decisão que determinou a realização do Censo 2021

AGU recorre de decisão que determinou a realização do Censo 2021

A Advocacia-Geral de União (AGU) recorreu de uma liminar do ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF) que ordenou a realização do Censo 2021. O julgamento no plenário da Corte deverá começar nesta sexta-feira, 7. A defesa do governo pede que o Supremo...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *