Mandetta nega falta de recursos para combate à Covid-19 no Amazonas

Postado em 5 de maio de 2021

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que não deu recomendações para cancelar o carnaval porque não havia recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) na época da festa. Ex-titular do governo deu a declaração durante depoimento nesta terça-feira, 4, à CPI da Covid-19, no Senado Federal. Ele criticou a demora da entidade em reconhecer a gravidade da situação. “Esses 45 dias de espera por essa sentença: olha é um vírus rápido. A Itália cair, a França cair, a Alemanha cair, a Inglaterra cair em intervalo de 15 dias, aí que o mundo foi apresentado à doença. A minha crítica é porque acho que levaram muito tempo para fazer isso. Nós poderíamos ter organizado muito melhor o mundo inteiro”, disse. Luiz Henrique Mandetta negou que tenha tido falta de recursos federais para o Amazonas durante a primeira onda de coronavírus.

“Não houve falta de dinheiro e eles tomaram as decisões das compras de seus equipamentos. Falava com um secretário, daqui a pouco me ligava ‘foi demitido aquele’, daí entrou uma secretária que não conhecia a rede. Ali me parece que vocês terão que fazer uma imersão própria, porque aquilo não se repetiu em outras unidades federativas”, disse, afirmando que não partiu da Saúde a ordem para aumentar a produção de cloroquina no laboratório químico e farmacêutico do Exército. Segundo ele, as ações do ministério sempre foram baseadas na ciência, não na política. “Todas as recomendações as fiz com base na ciência, vida e proteção”, afirmou o ex-ministro Mandetta, alertando que pode acontecer um novo colapso no sistema de saúde. “Se acontecera infantilização da doença, que pode ser o capítulo final da pandemia, quando você pressiona de cima para baixo e o vírus começar a ficar muito transmissível de 0 a 20 anos e começar a elevar crianças em casos graves, o número de unidades de terapia intensivas pediátricas, no Brasil, é muito baixo, vamos ter outro colapso para infância e adolescência.”

Durante a sessão da CPI, Luiz Henrique Mandetta defendeu inúmeras vezes a testagem em massa, estratégia que, segundo ele, foi abandonada após a demissão. Questionado sobre vacinas, o ex-titular da Saúde destacou que a imunização pode ser acelerada e citou uma campanha feita em 2020. “Nós conseguimos antecipar um prazo com o Butantan para que não tivéssemos a coincidência de uma epidemia de gripe com uma epidemia  de coronavírus. E nós aplicamos um recorde de 80 milhões de doses em 34 dias. Havendo necessidade, o SUS é o melhor sistema para aplicar as vacinas, basta tê-las.” Nesta quarta-feira, 5, os integrantes da CPI devem apreciar a convocação do ex-secretário de Comunicação da Presidência, Fábio Wajngarten, do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do ministro da Justiça, Anderson Torres.

*Com informações da repórter Nanny Cox

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 5 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 5 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Publicação de Alexandre Knopfholz na Gazeta do Povo

O advogado  Alexandre Knopfholz, do Núcleo de Direito Penal do Escritório, publicou, no dia 14/06/2021, o artigo no site Gazeta do Povo, com o tema “Uma só Constituição“. Confira o artigo aqui.The...

Uma só Constituição

*Artigo publicado na Gazeta do Povo, dia 14 de junho de 2021. Paira no país certa insatisfação com o STF. O atual conceito do tribunal difere grandemente daquele citado por ex-ministros notáveis,...

Artigos Relacionados

Presidente do TCU pede para a PF investigar auditor afastado do TCU

Presidente do TCU pede para a PF investigar auditor afastado do TCU

A presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministra Ana Arraes, pediu à Polícia Federal, na segunda-feira, 14, que seja aberto um inquérito para investir auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, apontado como autor...

Wilson Witzel recorre ao STF para não comparecer à CPI da Covid-19

Wilson Witzel recorre ao STF para não comparecer à CPI da Covid-19

O ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para não comparecer à CPI da Covid-19. Em pedido apresentado nesta terça-feira, 15, a defesa do político pede que ele não seja obrigado prestar depoimento aos senadores,...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *