Número inflado de vacinas, cloroquina e ‘juízo de valor’: o depoimento de Queiroga à CPI da Covid

Postado em 6 de maio de 2021

Em depoimento à CPI da Covid-19 nesta quinta-feira, 6, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, admitiu que o governo do presidente Jair Bolsonaro anunciou um número superestimado de vacinas contra o novo coronavírus já contratadas. Em peças de propaganda, a pasta dizia ter comprado mais de 560 milhões de doses, mas em resposta a um questionamento oficial feito pelo deputado federal Gustavo Fruet (PDT-PR), o ministério informou que só há acordo firmado para a aquisição de metade disso: 280 milhões. Aos senadores da comissão, porém, o médico cardiologista apresentou novos números, e disse que há 430 milhões de imunizantes contratados, quantidade que não inclui as vacinas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A oitiva de Marcelo Queiroga, iniciada por volta das 10h, também foi marcada por questionamentos sobre a cloroquina, medicamento ineficaz no tratamento da Covid-19, mas recomendado pelo presidente Jair Bolsonaro desde o início da pandemia. Além disso, o ministro da Saúde evitou responder diretamente sobre outros temas, como declarações do chefe do Executivo federal e ações de gestões anteriores. Quando questionado sobre a recusa do governo em assinar contrato com a Pfizer em agosto do ano passado, Queiroga disse que não poderia falar sobre tratativas que ocorreram antes de sua posse. “Assumi há 45 dias e esses acordos não foram firmados na minha gestão. Não tenho como precisar se houve demora, porque não participei dessas negociações”, disse.

O relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL) e o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), questionaram, em mais de uma ocasião, se o ministro concordava com o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro em defesa da cloroquina. Irritado com as respostas evasivas, Aziz subiu o tom contra Queiroga. “O senhor não entendeu sua posição aqui”, disse. “O senhor é testemunha, tem que dizer sim ou não. Senão vamos encerrar a sessão agora, nem vamos continuar”, acrescentou o presidente do colegiado. Calheiros insistiu. “O senhor compartilha da opinião do presidente sobre o uso da cloroquina?”, questionou. “Eu não faço juízo de valor a respeito da opinião do presidente da República”, rebateu o comandante da Saúde.

Autonomia de Estados e municípios 

Outro destaque do depoimento de Queiroga foi a defesa da autonomia de Estados e municípios para decretar medidas restritivas de combate ao novo coronavírus. “Pelo o que entendo, o senhor acha que Estados e municípios devem ter o direito de fazer essa política de distanciamento social ou de lockdown, se for o caso, conforme as características e o momento epidemiológico de cada um desses Estados e municípios”, disse o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), um dos 11 titulares da CPI. “É claro que concordo”, respondeu o ministro. O presidente Jair Bolsonaro é um crítico contumaz das políticas de isolamento social. Nesta quarta-feira, 5, afirmou, em evento no Palácio do Planalto, que cogitava editar um decreto para “garantir o direito de ir e vir da população”.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: André Siqueira.
Data de Publicação: 6 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

Francisco Zardo publica artigo no Estadão

Francisco Zardo publica artigo no Estadão

As sanções administrativas da Lei Geral de Proteção de Dados entraram em vigor no dia 1º de agosto. Confira aqui o artigo do advogado Francisco Zardo, publicado no Estadão, no blog do Fausto Macedo, com o título “LGPD: agora é pra valer“.The post Francisco Zardo...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *