Com depoimentos de ex-ministros, senadores concluem primeira semana da CPI da Covid-19

Postado em 7 de maio de 2021

Respondendo a questionamentos de senadores por cerca de dez horas, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, evitou responder questionamentos sobre a cloroquina. A sessão, que chegou a ser interrompida para votação na Casa, teve clima tenso, bate boca e a defesa do cardiologista a questões técnicas. Queiroga desviou de questões sobre o fármaco, ressaltando que pediu análise da Conitec, órgão de incorporação de tecnologias ao SUS. “Essa é uma questão de natureza técnica, ela tem que ser enfrentada da forma técnica. Não é uma opinião pessoal de qualquer senador. Existem duas correntes.”

O ministro da Saúde defendeu a vacinação, o fortalecimento do SUS e a distribuição de testes para estados e municípios. Ao contrário do que os antecessores Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich relataram à CPI, Queiroga garantiu que tem autonomia para chefiar a pasta da Saúde. Questionado pelos parlamentares sobre declarações polêmicas do presidente Jair Bolsonaro durante a pandemia, Queiroga disse que não poderia emitir “juízo de valor”. O titular do governo também disse que ninguém deve promover aglomerações e relatou que orientou Bolsonaro a usar a máscara. “Aconselhei, senador. Ele passou a usar máscaras. Eu já me manifestei a respeito, toda aglomeração deve ser dissuadida. Independente de quem faça.”

O ministro afirmou que não foi consultado pelo presidente sobre decreto contra medidas de isolamento em estados e municípios, mas se colocou contrário a um lockdown nacional. Apesar de dizer que desconhece aconselhamento paralelo na Saúde, o ministro declarou ignorar decreto que estaria sendo preparado pelo Planalto. “O que o presidente falou comigo a cerca desse tema é que ele queria assegurar a liberdade das pessoas. Não estou participando da elaboração desse decreto e nem foi me perguntado sobre o tema.” O chefe da pasta da Saúde disse que desconhece o termo “guerra biológica” citado por Jair Bolsonaro e trabalha para manter o bom relacionamento com a China. Marcelo Queiroga, garantiu que trabalha para recompor o orçamento destinado ao ministério, inclusive para dar prosseguimento à pesquisa de vacinas.

*Com informações da repórter Nanny Cox

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 7 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *