Visita de Onyx Lorenzoni a Eduardo Pazuello gera discussão na CPI da Covid-19

Postado em 7 de maio de 2021

Membros da CPI da Covid-19 no Senado se irritaram com o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. Eles reagiram à matéria publicada pelo jornal Estado de São Paulo de que o general do Exército teria recebido uma visita do ministro da Secretaria-geral da Presidência, Onyx Lorenzoni. Ele foi flagrado entrando no hotel onde Pazuello está hospedado. A cena ocorreu dois dias após Pazuello ter pedido para adiar o depoimento à comissão por ter tido contato direto com dois servidores diagnosticados com Covid-19. O vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues, vai pedir ao ex-ministro que envie, com urgência, um exame de Covid-19 “para que a comissão tome uma providência”. Randolfe classificou a postura como lamentável e triste.

Alguns senadores, como Fabiano Contarato, sugeriram que Pazuello seja alvo de condução coercitiva para depor. O relator, senador Renan Calheiros, descartou a adoção de medidas mais rígidas e disse que condução coercitiva é uma prática do passado, mas criticou a postura do ex-ministro. “Isso seria uma requisição em caso gravíssimo. E eu confio no bom senso dele. Isso não vai acontecer. Agora, ele precisa colaborar e deixar de usar o Exército como um biombo para não vir a CPI. É extremamente irresponsável.” Questionado durante a reunião, o presidente da comissão, senador Omar Aziz, se colocou contra eventuais providências. “Ninguém vai proibir alguém de visitar alguém, mesmo que esteja com suspeita de Covid-19. Não temos poder para isso. Agora, eu espero que o ex-ministro Pazuello estiver com Covid-19, o ministro Onyx não se contamine. Vamos torcer para isso, não dá para fazer mais nada.” A questão provocou bate-boca entre senadores governistas e da oposição.

O senador Omar Aziz agiu para acalmar os ânimos. “Eu quero saber qual foi o crime que o ex-ministro Pazuello cometeu hoje. Ele recebeu a visita de alguém. Qual o problema? É por isso que as pessoas acham que a gente quer politizar isso aqui, rapaz.” Como o depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, tomou todo o dia, a CPI adiou a oitiva do presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, que estava prevista para esta quinta-feira. A agenda foi remarcada para a próxima semana. Com isso, o depoimento do ex-secretário de Comunicação, Fabio Wajngarten, foi transferido para quarta-feira. Na próxima quinta, vão ser ouvidos o ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e representantes da Pfizer no Brasil. As oitivas dos presidentes da Fiocruz e do Butantan e do representante da vacina Sputnik V ficaram para a semana seguinte.

*Com informações do repórter Levy Guimarães

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 7 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *