CPI da Covid-19: Wajngarten diz que governo demorou dois meses para responder carta da Pfizer

Postado em 12 de maio de 2021

Em depoimento à CPI da Covid-19 nesta quarta-feira, 12, o ex-secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, afirmou que uma carta enviada pela Pfizer ao governo federal ficou sem resposta por dois meses. A carta foi entregue por Wajngarten à CPI durante seu depoimento à comissão. No documento que a Jovem Pan teve acesso, a empresa farmacêutica ofertou ao Ministério da Saúde a possibilidade de compra de um lote com milhões de doses da vacina contra a Covid-19. “A carta foi enviada em 12 de setembro do último ano. O dono do veículo de comunicação me avisou em 9 de novembro que a carta não havia sido respondida. Nesse momento, eu mandei um e-mail ao presidente da Pfizer. Respondi essa carta no dia em que eu recebi, 15 minutos depois”, disse Wajngarten à CPI.

Mesmo não estando entre os destinatários originais da carta, o ex-secretário reforçou que buscou manter contato com a Pfizer ao saber da oferta. “A potencial vacina da Pfizer e da BioNTech é uma opção muito promissora para ajudar seu governo a mitigar esta pandemia. Quero fazer todos os esforços possíveis para garantir que doses de nossa futura vacina sejam reservadas para a população brasileira, porém celeridade é crucial devido à alta demanda de outros países e ao número limitado de doses em 2020”, registrou a farmacêutica na carta endereçada ao presidente Jair Bolsonaro, ao vice-presidente Hamilton Mourão, ao ex-ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto, ao ex-titular da Saúde, Eduardo Pazuello, ao ministro da Economia, Paulo Guedes e ao embaixador do Brasil para os Estados Unidos, Nestor Forster.

“Minha equipe no Brasil se reuniu com representantes de seus Ministérios da Saúde e Economia, bem como com a Embaixada do Brasil nos Estados Unidos. Apresentamos uma proposta ao Ministério da Saúde do Brasil para fornecer nossa potencial vacina que poderia proteger milhões de brasileiros, mas até o momento não recebemos uma resposta. Sabendo que o tempo é essencial, minha equipe está interessada em acelerar as discussões sobre uma possível aquisição e pronta para se reunir com Vossa Excelência ou representantes do governo brasileiro o mais rápido possível”, continua a carta assinada por Albert Bourla, diretor executivo da Pfizer.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Giullia Chechia Mazza.
Data de Publicação: 12 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

Francisco Zardo publica artigo no Estadão

Francisco Zardo publica artigo no Estadão

As sanções administrativas da Lei Geral de Proteção de Dados entraram em vigor no dia 1º de agosto. Confira aqui o artigo do advogado Francisco Zardo, publicado no Estadão, no blog do Fausto Macedo, com o título “LGPD: agora é pra valer“.The post Francisco Zardo...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *