Câmara aprova projeto que flexibiliza as regras de licenciamento ambiental

Postado em 13 de maio de 2021

A Câmara aprovou um projeto que flexibiliza as regras de licenciamento ambiental, que é quando um órgão define condições, restrições e medidas de controle para serem obedecidas por um empreendimento. Com isso, a matéria vai para o Senado. Discutido há 17 anos pela Casa, o texto dispensa de licenciamento iniciativas consideradas de baixo impacto ambiental e que sejam voltadas ao interesse público. Entre elas, estariam obras para geração de energia elétrica até 69 quilovolts e tratamento de água e esgoto, além de recapeamento de rodovias e atividades que não gerem pecuária intensiva de médio e grande porte.

O relator, deputado Neri Geller (PP), afirma que segundo um estudo da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, o projeto pode atrair cerca de R$ 130 milhões em investimentos. Ele critica a regra vigente de licenciamento. “O licenciamento tornou-se um fim em si mesmo, um procedimento desvinculado do seu verdadeiro objetivo: a preservação ambiental. O capital foge do país, os investimentos e obras ficam paralisadas e o meio ambiente desprotegido.” O projeto também cria uma modalidade de licença auto declaratória, sem a participação de órgãos ambientais. Ela valeria para empreendimentos considerados sem grande potencial de degradação ambiental caso sejam conhecidas características como as condições de instalação e as medidas de controle ambiental necessárias.

Alvo de críticas de ambientalistas, a proposta dividiu opiniões no plenário. Para o deputado Enrico Misasi (PV), o momento não era propício para a votação. “É de uma importunidade votar esse projeto agora por uma questão de imagem ,inclusive. O Brasil passa por uma crise brutal no exterior em relação a proteção ambiental e nós vamos aprofundar com a aprovação desse relatório porque a sociedade não está compreendendo todo esse processo.” Além disso, o projeto concede ao órgão regulador, como o Ibama e os órgãos estaduais e municipais, todo o poder de decisão sobre o licenciamento, sem poder de veto às comunidades indígenas. Segundo o relator, elas seriam ouvidas, mas não participariam da autorização ou rejeição à atividade.

*Com informações do repórter Levy Guimarães

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 13 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 13 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

Rogéria Dotti participa de evento promovido pela AASP

Rogéria Dotti participa de evento promovido pela AASP

Nos dias 05 e 06 de agosto, acontece o evento “Desjudicialização da Execução Civil. Debate sobre o PL Nº 6.204/2019”, organizado pela Associação dos Advogados de São Paulo-AASP e coordenação de Flávia Ribeiro. Rogéria Dotti está confirmada para proferir palestra ao...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *