CPI da Covid-19: Randolfe pede quebra de sigilos bancário e telefônico de Pazuello

Postado em 19 de maio de 2021

O senador Randolfe Rodrigues (Rede), vice presidente da CPI da Covid-19, pediu nesta quarta-feira, 19, a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O requerimento foi feito após serem divulgadas denúncias de que o Ministério da Saúde teria usado a pandemia do novo coronavírus como pretexto para contratar obras sem licitação. As acusações apontam que a pasta teria reformado prédios no Rio de Janeiro com contratos emergenciais, solicitados a partir da justificativa de que atendiam obras urgentes para o combate à pandemia. No total, as obras teriam o custo de R$ 29 milhões, segundo as denúncias.

Além de Pazuello, a quebra de sigilos também pode atingir o coordenador do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro, George Divério. Os parlamentares analisarão o pedido na CPI da Covid-19. Defendendo que a denúncia seja debatida na comissão, o vice-presidente Randolfe avaliou que as acusações apontadas são “gravíssimas” e podem configurar improbidade administrativa. “No Rio de Janeiro, mais de 820 mil pessoas já tiveram covid-19. O número de mortos ultrapassou os 48 mil. Entretanto, parte dos investimentos dos recursos públicos foram usados para reformar galpões para guardar arquivos”, registrou o senador no requerimento.

Outra peça chave da CPI, o relator Renan Calheiros (MDB) alegou nesta tarde que encaminhará ao presidente da comissão, o senador Omar Aziz (PSD) outro requerimento. O documento pedirá a contratação de uma agência de checagem de fatos para acompanhar os depoimentos prestados na CPI. A ideia foi anunciada após a suspensão do depoimento de Eduardo Pazuello à comissão nesta quarta-feira. Calheiros acusou o ex-ministro de mentir em seus esclarecimentos. “Pedirei amanhã para que o presidente contrate uma agência de checagem dos fatos, à disposição da CPI. Eu acho importantíssimo que, diante da reiterada prática da mentira, possamos evidentemente contratar esse serviço, porque assim os fatos serão levantados online por uma empresa que terá a obrigação de rapidamente fazer sua verificação”, anunciou o relator em coletiva de imprensa.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 19 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *