Eduardo Girão critica condução da CPI da Covid-19: ‘Estão atrasando o país por politicagem’

Postado em 19 de maio de 2021

O senador Eduardo Girão (PODE) criticou o andamento da CPI da Covid-19 no Senado Federal. O parlamentar defende a necessidade de avançar nas investigações sobre possíveis desvios de recursos por parte dos Estados e municípios, o que, segundo ele, ainda não aconteceu por “politicagem”. “No momento que a gente precisa gerar empregos, que a gente precisa diminuir a fome, tem gente morrendo ainda por questão de saúde pública, está se fazendo política e antecipando o calendário eleitoral do ano que vem. Isso é covardia, vejo que esses caras estão atrasando país por politicagem”, disse em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, ressaltando que parte dos senadores parecem não acreditar “que o presidente ganhou nas urnas” a eleição de 2018 e estão levando a condução da CPI para o lado pessoal. “É justo com o povo brasileiro, é justo com pessoas que estão indo trabalhar, sofrendo por uma guerra política? A CPI está derretendo por esse tipo de postura, por politicagem. Espero que possa rastrear os bilhões que foram enviados para Estados e municípios, dinheiro não faltou e os escândalos estão aí”, ressaltou, defendendo que as oitivas aconteçam de forma alterada: um depoimento sobre investigação do governo federal e um sobre os repasses aos entes federativos. “É uma blindagem para proteger governadores e prefeitos”, completou.

Ainda a respeito das oitivas, o senador pontuou que a expectativa é que o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, não fique calado durante depoimento na CPI da Covid-19. O general que presta depoimento no colegiado nesta quarta-feira, 19, garantiu no Supremo Tribunal Federal (STF) o direito de permanecer em silêncio durante a oitiva. No entanto, os parlamentes esperam que o ex-ministro possa esclarecer algumas dúvidas. “Esse habeas corpus acredito que é uma medida de proteção por causa da condução extremamente agressiva e parcial. Para mim, já tem um relatório pronto do Renan Calheiros, a animosidade muito grande que ele já tem para condenar o governo federal. A gente acredita que o ex-ministro nem deveria precisar desse habeas corpus, embora seja compreensível pela intimidação”, afirmou. Eduardo Girão disse ainda esperar que Renan Calheiros, relator do colegiado, “se contenha um pouco mais” durante o depoimento, que pode trazer informações para o cruzamento de informações e para “buscar verdades” com relação à atuação do governo federal na pandemia.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 19 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 19 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *