‘Capitã cloroquina’ e convocação de novos depoentes: como será a quarta semana da CPI da Covid-19

Postado em 23 de maio de 2021

Desde que foi instalada, a CPI da Covid-19 ouviu os depoimentos de oito pessoas, convocadas para prestar esclarecimentos que possam auxiliar os senadores a elucidar as razões que levaram o Brasil a ultrapassar a trágica marca de mais de 435 mil mortes causadas pelo coronavírus. Até o momento, passaram pela comissão ex-ministros da Saúde e das Relações Exteriores, o atual comandante do Ministério da Saúde, Marcelo Queiroga, o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, o ex-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, Fábio Wajngarten, e o ex-presidente da Pfizer no Brasil, Carlos Murillo. Se as primeiras oitivas foram marcadas por perguntas relacionadas à compra de vacinas e à insistência do governo federal na defesa do uso de um remédio sem comprovação científica para o tratamento da doença, a próxima semana jogará luz sobre a crise do oxigênio no Amazonas, onde, no início do ano, pacientes morreram asfixiados por falta do insumo.

Na terça-feira, 25, os senadores receberão a secretária da Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como “capitã cloroquina”, o único depoimento confirmado para a próxima semana. Sua oitiva estava inicialmente marcada para a quinta-feira, 20, mas foi adiada em razão da segunda parte do depoimento do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, iniciado na manhã de quarta. A servidora, que concorreu ao cargo de senadora em 2018, mas não se elegeu, ingressou com um pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) para que pudesse ficar em silêncio e, primeiramente, o recurso foi negado pelo ministro Ricardo Lewandowski. No entanto, após pedido de reconsideração apresentado pela defesa de Mayra, o membro da Corte permitiu que ela não comente sobre a crise de oxigênio em Manaus. “Diante das alegações e dos documentos agora apresentados, esclareço que assiste à paciente o direito de permanecer em silêncio – se assim lhe aprouver –quanto aos fatos ocorridos no período compreendido entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021”, afirmou trecho da decisão emitida nesta sexta-feira, 21. O ministro informou, ainda, que o resto da decisão feita por ele na última terça-feira, 18, continua mantido.

À CPI, Pazuello afirmou que o aplicativo “TrateCov”, que receitava cloroquina e outros medicamentos do chamado “kit Covid” para qualquer paciente, incluindo recém-nascidos e gestantes, foi uma sugestão da secretária. A iniciativa, segundo o general do Exército, tinha o objetivo de “facilitar o diagnóstico” da doença. Em depoimento prestado ao Ministério Público Federal (MPF), ela admitiu que foi responsável pelo planejamento da viagem de uma comitiva de médicos que difundiu o uso de cloroquina e ivermectina, medicamentos sem comprovação científica para o tratamento da doença, em Manaus, um dia antes de o sistema de saúde da capital do Estado do Amazonas entrar em colapso. Na quarta-feira, em sessão deliberativa, os senadores vão votar requerimentos de informações e de convocações para as próximas semanas. Por isso, o calendário de depoimentos deve ser modificado. Até o momento, já estão convocados Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, Nísia Trindade Lima, presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Fernando de Castro Marques, presidente da União Química, representante da vacina russa Sputnik V no Brasil, Marcellus Campêlo, secretário de Saúde do Amazonas, a médica Nise Yamaguchi e a diretora-executiva da Anistia Internacional no Brasil, Jurema Werneck.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: André Siqueira.
Data de Publicação: 23 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: André Siqueira.
Data de Publicação: 23 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *