CPI da Covid-19: O que os senadores esperam do depoimento de Mayra Pinheiro

Postado em 24 de maio de 2021

Nesta terça-feira, 25, a secretária da Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, será a testemunha ouvida na CPI da Covid-19. O depoimento está marcado para às 9h. Conhecida como “capitã cloroquina”, a servidora poderá ficar em silêncio sempre que for questionada sobre fatos que ocorreram entre os meses de dezembro de 2020 e janeiro de 2021, conforme decidiu o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF). Este intervalo de tempo coincide com o colapso da rede hospitalar e da crise de oxigênio de Manaus, assunto que deve ser o ponto central da oitiva. Além disso, os integrantes da comissão pretendem questioná-la sobre a distribuição de remédios do chamado “kit Covid” e a criação do aplicativo “TrateCov”, lançado oficialmente na capital do Estado em uma cerimônia no dia 11 de janeiro.

A secretária do Ministério da Saúde foi convocada por cinco senadores: o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues, Humberto Costa (PT-PE) e os suplentes Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Rogério Carvalho (PT-SE). Nos requerimentos, os parlamentares afirmam que Mayra Pinheiro se notabilizou como uma defensora do chamado “tratamento precoce” com medicamentos ineficazes para o tratamento do coronavírus. Ela também responde a uma ação de improbidade administrativa, apresentada pelo Ministério Público Federal do Amazonas, que apura se houve omissão do governo federal na crise que atingiu a capital do estado no início de 2021 – como a Jovem Pan mostrou, à época, pacientes internados tiveram de ser “ambuzados” (receber oxigenação de forma manual) em diversas unidades de atendimento, como o Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), por exemplo.

A “capitã cloroquina” também será questionada sobre o desenvolvimento do aplicativo “TrateCov”, iniciativa do Ministério da Saúde que prescrevia medicamentos do chamado “kit Covid” para qualquer paciente, incluindo recém-nascidos e gestantes. Em seu depoimento à CPI, na semana passada, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello afirmou que a ideia para a criação da plataforma partiu de Mayra Pinheiro. “Hoje a gente lança em primeira mão, o estado do Amazonas é o primeiro estado do Brasil que recebe o aplicativo TrateCov”, disse a servidora no dia 11 de janeiro, em Manaus, em evento de lançamento da iniciativa. “Nós estamos oferecendo hoje ao povo brasileiro, aos médicos e enfermeiros que vão ajudar usando esse aplicativo. Vamos agilizar o diagnóstico sem que a gente espere, como o nosso ministro já falou, as tomografias, as ressonâncias, os testes de RT-PCR que às vezes demoram alguns dias até obtermos os resultados”, explicou. Aos senadores, Pazuello também disse que determinou que a ferramenta fosse retirada do ar ao saber que teria ocorrido um “roubo” do sistema, supostamente “hackeado, puxado por um cidadão”.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: André Siqueira.
Data de Publicação: 24 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *