Na CPI, Mayra Pinheiro contradiz Pazuello, defende cloroquina e evita críticas a Bolsonaro 

Postado em 25 de maio de 2021

Em um depoimento à CPI da Covid-19 que durou pouco mais de seis horas, a secretária de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro contradisse informações apresentadas à comissão pelo ex-ministro Eduardo Pazuello na semana passada, defendeu o uso da cloroquina no tratamento de pessoas infectadas com o coronavírus e evitou comentar declarações e posturas do presidente Jair Bolsonaro desde o início da pandemia no Brasil. Apesar de ter sido beneficiada por um habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a servidora, que ficou conhecida como “capitã cloroquina”, respondeu a todas as perguntas dos parlamentares – como a Jovem Pan mostrou, o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL) apontou 11 contradições na oitiva da depoente.

Aos senadores, Mayra Pinheiro disse que Pazuello tomou conhecimento da escassez do oxigênio em Manaus no dia 8 de janeiro, não no dia 10, como o general do Exército havia afirmado na CPI. “Estive em Manaus até o dia 5. Eu voltei, o ministro teve conhecimento do desabastecimento em Manaus, creio, no dia 8, e ele me perguntou por que eu não havia relatado nenhum problema de escassez de oxigênio. Porque não me foi informado”, afirmou. Ela acrescentou que confirmou “a informação com o secretário estadual de Saúde perguntando: ‘Secretário, por que, durante o período da minha prospecção, não me foi informado?’. Ele disse: ‘Porque nem nós sabíamos’”, acrescentou a depoente. A afirmação do ex-ministro da Saúde de que a pasta só foi informada sobre a iminência da crise na capital do Estado do Amazonas já havia sido desmentida por um documento oficial do Ministério da Saúde. Em ofício, o ex-secretário-executivo Élcio Franco Filho afirma que o ex-chefe do ministério soube do colapso três dias antes. “Esclareço que, na noite de 7 de janeiro de 2021, este Ministério tomou ciência de problemas relacionados ao abastecimento de oxigênio da rede de saúde do Amazonas” diz um trecho.

A secretária do Ministério da Saúde também apresentou uma versão diferente sobre a decisão da pasta de retirar do ar o aplicativo “TrateCov”, que prescrevia remédios ineficazes para o tratamento da Covid-19 para gestantes e recém-nascidos, por exemplo. Aos senadores, o ex-ministro Eduardo Pazuello afirmou que a plataforma foi hackeada. Na sessão desta terça, porém, Mayra Pinheiro disse que o aplicativo foi alvo de uma extração de dados, e não um hackeamento. Ela também destacou que não houve alterações no formato do dispositivo, como relatou Pazuello. “O laudo pericial classificou a operação como extração indevida de dados. O que ele [a pessoa que inspecionou o site do TrateCov] fez foram simulações indevidas, fora do contexto epidemiológico”, afirmou.

Tratamento precoce 

Mayra Pinheiro reforçou a defesa da hidroxicloroquina e disse que, como médica, mantém a orientação “de que a gente possa usar todos os recursos possíveis para salvar vidas”. Aos parlamentares, porém, ela afirmou que nunca recebeu ordens para propagar o medicamento. “Nunca recebi ordens, e a indicação desses medicamentos não é iniciativa minha pessoal”, ressaltou.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: André Siqueira.
Data de Publicação: 25 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *