Governadores se dizem tranquilos com ida à CPI da Covid-19

Postado em 27 de maio de 2021

Os governadores chamados a dar explicações à CPI da Covid-19 reagiram com serenidade à convocação e prometeram responder a todos os questionamentos. Em nota, o representante estadual do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, disse que vai contribuir “no que for necessário”. A Secretaria de Estado da Comunicação do Tocantins informou que o Mauro Carlesse está tranquilo. O governador de Rondônia, Marcos Rocha, reconheceu a importância da transparência na gestão de recursos públicos, prometeu colaborar e afirmou ainda que nenhum ato de corrupção na pandemia será tolerado. Em Roraima,  Antônio Denarium, garantiu que falará aos senadores sem pedir habeas corpus. Ele acredita que o depoimento não vai gerar desgaste com o governo. “Estou tranquilo, vou participar, vou contribuir com o que for possível. Qualquer tipo de dúvida e esclarecimento eu vou repassar. Também mostrando documentação, o que for necessário para esclarecer e tirar qualquer tipo de dúvida. Estou aqui para contribuir”, disse.

Em nota, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, afirmou não haver justificativa para a convocação e que, no caso dos respiradores, todos os órgãos de controle que investigaram o caso atestaram a lisura da conduta dele. A vice-governadora, Daniela Reinehr, se colocou à disposição para quaisquer esclarecimentos e informações que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) possa solicitar. Por sua vez, o governador do Piauí, Wellington Dias, reconheceu a importância da Comissão e prometeu contribuir com as investigações. “Compareci com os membros da comissão e me coloquei voluntariamente como governador, como coordenador do Fórum dos Governadores do Brasil nesse tema da pandemia para ali comparecer na CPI. E voluntariamente contribuir com informações, com esclarecimentos para que a gente possa encontrar o caminho”, afirmou. Também chamado a depor, o ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, disse ao site do Jornal O Globo não ver motivos para não comparecer. Wilson Lima, do Amazonas, Waldez Góes, do Amapá e Helder Barbalho, do Pará, não se manifestaram sobre o tema. As datas dos depoimentos ainda não foram definidas.

*Com informações da repórter Letícia Santini

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 27 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *