Gabinete paralelo, cloroquina e especialistas: os próximos passos da CPI da Covid-19

Postado em 30 de maio de 2021

Com o fim do primeiro mês de trabalhos da CPI da Covid-19, os senadores querem avançar sobre temas que dominaram boa parte dos depoimentos das dez testemunhas ouvidas até aqui. No chamado G7, grupo formado pelos sete parlamentares independentes e de oposição, prevalece o entendimento de que as oitivas revelam que o governo do presidente Jair Bolsonaro negligenciou a compra de vacinas contra o coronavírus e foi orientado por um gabinete paralelo – chamado pelo relator, Renan Calheiros (MDB-AL), de “Ministério da Doença” – sobre assuntos relacionados ao combate da crise sanitária. Em razão disso, a sessão da terça-feira, 1º, que irá receber a médica imunologista Nise Yamaguchi, é vista como fundamental pelo bloco majoritário do colegiado.

Nise Yamaguchi é apontada como uma das integrantes do gabinete paralelo, mas sua convocação atende os requerimentos apresentados pelos senadores Eduardo Girão (Podemos-CE) e Marcos Rogério (DEM-RO), parlamentares alinhados ao Palácio do Planalto. Para o senador do DEM, a audiência “será de importância singular para que [a pesquisadora] exponha sua atuação e conhecimentos, com o objetivo único de restabelecer a verdade, oferendo informações transparentes e esclarecedoras”. Em seu depoimento à CPI, o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, afirmou que partiu da imunologista a ideia de alterar a bula da cloroquina, a fim de recomendá-la para o tratamento da doença. Defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, o fármaco é comprovadamente ineficaz.

“Me recordo [dessa reunião no Palácio do Planalto]. Confirmo que estávamos o Braga Netto, da Casa Civil, o ministro Mandetta, eu, a doutora Nise Yamaguchi e um médico do qual não me recordo o nome. Esse documento [minuta de decreto presidencial que previa a mudança da bula] foi comentado pela doutora Nise Yamaguchi, o que provocou uma reação, confesso, um pouco deselegante. A minha reação foi muito imediata, de dizer que aquilo não poderia ocorrer. Só quem pode modificar uma bula de um medicamento registrado é a agência reguladora daquele país, desde que solicitado pelo detentor do registro”, disse o diretor da Anvisa. “Quando houve uma proposta de uma pessoa física fazer isso, me causou uma reação brusca”, acrescentou. A reunião no Planalto à qual Barra Torres se referiu foi citada pelo ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta em sua oitiva.

As informações apresentadas pela médica à CPI também serão utilizadas como subsídios para outros depoimentos marcados para o mês de junho (veja aqui o calendário de audiências). Na quarta-feira, 26, a comissão aprovou as convocações de Arthur Weintraub, ex-assessor da Presidência da República e irmão do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub, Carlos Wizard Martins, o empresário que atuou como consultor do Ministério da Saúde na gestão de Eduardo Pazuello, e Filipe Martins, assessor da Presidência da República para assuntos internacionais. Os três são apontados como integrantes do grupo de assessoramento paralelo.

Na quarta-feira, 2, os senadores vão ouvir especialistas: a CPI vai receber Clóvis Arns da Cunha, professor de Infectologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Zeliete Zambom, médica de Família e Comunidade, professora da Faculdade de Medicina São Leopoldo Mandic e presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, Francisco Eduardo Cardoso Alves, especialista em infectologia pelo Instituto Emílio Ribas, e o médico neurocirurgião Paulo Porto de Melo. Diferentemente das outras semanas, não haverá sessão na quinta-feira, 3, em razão do feriado de Corpus Christi.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: André Siqueira.
Data de Publicação: 30 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: André Siqueira.
Data de Publicação: 30 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Publicação de Alexandre Knopfholz na Gazeta do Povo

O advogado  Alexandre Knopfholz, do Núcleo de Direito Penal do Escritório, publicou, no dia 14/06/2021, o artigo no site Gazeta do Povo, com o tema “Uma só Constituição“. Confira o artigo aqui.The...

Uma só Constituição

*Artigo publicado na Gazeta do Povo, dia 14 de junho de 2021. Paira no país certa insatisfação com o STF. O atual conceito do tribunal difere grandemente daquele citado por ex-ministros notáveis,...

Artigos Relacionados

Presidente do TCU pede para a PF investigar auditor afastado do TCU

Presidente do TCU pede para a PF investigar auditor afastado do TCU

A presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministra Ana Arraes, pediu à Polícia Federal, na segunda-feira, 14, que seja aberto um inquérito para investir auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, apontado como autor...

Wilson Witzel recorre ao STF para não comparecer à CPI da Covid-19

Wilson Witzel recorre ao STF para não comparecer à CPI da Covid-19

O ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para não comparecer à CPI da Covid-19. Em pedido apresentado nesta terça-feira, 15, a defesa do político pede que ele não seja obrigado prestar depoimento aos senadores,...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *