Renan Calheiros cobra novo depoimento de Queiroga à CPI da Covid-19: ‘Se omite diante do morticínio’

Postado em 30 de maio de 2021

Relator da CPI da Covid-19, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi ao Twitter cobrar que a comissão marque “rapidamente” o novo depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, aos senadores. A reconvocação do titular do Ministério da Saúde foi aprovada na quarta-feira, 26, mas, até o momento, a nova oitiva não tem data marcada. Na publicação feita nas redes sociais, o emedebista afirmou que o presidente Jair Bolsonaro faz um “jogo macabro” em direção à morte e à autodestruição e acrescentou que o médico cardiologista, escolhido para suceder Eduardo Pazuello na pasta, “se omite diante do morticínio”.

“Na psicanálise freudiana, a pulsão de morte é o movimento em direção à morte e à autodestruição. É o jogo macabro de Bolsonaro do qual o ministro Queiroga se torna cúmplice pq se omite diante do morticínio. É preciso marcar rapidamente a volta do ministro à CPI”, escreveu Renan Calheiros. Como a Jovem Pan mostrou, em seu primeiro depoimento à comissão, no dia 6 de maio, o ministro da Saúde evitou responder diretamente a perguntas sobre a postura adotada por Bolsonaro desde o início da crise sanitária. Ao longo do último ano, o chefe do Executivo federal contestou as medidas restritivas adotadas por prefeitos e governadores, questionou a eficácia de vacinas e defendeu o uso da cloroquina, medicamento ineficaz para o tratamento de pessoas infectadas como novo coronavírus.  “O senhor compartilha da opinião do presidente sobre o uso da cloroquina?”, questionou Calheiros durante a oitiva. “Eu não faço juízo de valor a respeito da opinião do presidente da República”, rebateu o comandante da Saúde.

Na quinta-feira, 29, o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), divulgou o calendário de depoimentos do próximo mês de trabalhos. Na terça-feira, 1º, será ouvida a médica Nise Yamaguchi, defensora da cloroquina e apontada como integrante de um suposto gabinete paralelo, que assessorava Bolsonaro para a definição de políticas públicas de enfrentamento à pandemia. O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), será o primeiro gestor estadual a ser ouvido. Ele é considerado um personagem central para elucidar a crise do oxigênio que causou o colapso da rede hospitalar do Estado, no início do ano.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 30 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *