CPI da Covid-19 se prepara para depoimento de Nise Yamaguchi na terça-feira

Postado em 31 de maio de 2021

A CPI da Covid-19 no Senado Federal retoma na terça-feira, 1º, as audiências ouvindo a médica oncologista e infectologista Nise Yamaguchi. Defensora do uso da hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com coronavírus, ela é próxima do presidente Jair Bolsonaro e já foi consultada por ele em diferentes ocasiões durante a pandemia. O depoimento da médica atende a pedidos de membros da base governista, como o senador Marcos Rogério (DEM). Autor de um dos requerimentos de convocação, ele afirma que a audiência tem “o objetivo único de restabelecer a verdade, oferecendo informações transparentes e esclarecedoras”. Membros da CPI veem na médica uma suspeita de ter integrado o suposto gabinete paralelo de aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro. O senador Randolfe Rodrigues (Rede) aponta que o comitê teria ganhado influência a partir de março do ano passado.

“Acredito que a partir dali se instalou uma espécie de comando paralelo do enfrentamento à crise sanitária. Esse comando paralelo, no nosso sentimento, existe e permanece até hoje. E esse comando paralelo baseado sobretudo em declarações no presidente da República, trabalhava e apostava na estratégia de infecção de todos. Da chamada ‘imunidade de rebanho’.” Em depoimento à CPI no dia 11 de maio, o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, disse que Nise Yamaguchi defendeu alterar a bula da cloroquina para descrever o medicamento como eficaz contra a Covid-19. A pesquisadora nega. O senador Otto Alencar (PSD) classifica Nise Yamaguchi como um dos especialistas que não dão o braço a torcer sobre a ineficácia da cloroquina contra a Covid-19.

Para ele, a convocação da infectologista é desnecessária. “A doutora Nise Yamaguchi, por exemplo, queria ser ministra da Saúde, fazia parte do gabinete paralelo que orientava o Pazuello. Ela vai ser chamada na terça, eu não chamaria. Acho completamente desnecessário. Agora, tem que entrar em outros temas, sobretudo da vacina.” Devido ao feriado de Corpus Christi na quinta-feira, a CPI terá uma semana mais curta: após o depoimento de Nise Yamaguchi, os senadores ouvem, na quarta-feira, quatro médicos com opiniões divergentes sobre temas como a hidroxicloroquina, tratamento precoce contra a Covid-19 e obrigatoriedade da vacinação. Depois, as oitivas serão retomadas na semana que vem.

*Com informações do repórter Levy Guimarães

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 31 de maio de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *