‘Relatório da CPI já está concluído, já tem culpado e inocente’, diz senador Eduardo Girão

Postado em 2 de junho de 2021

O senador Eduardo Girão (PODE), considera que as constantes interrupções ocorridas durante o depoimento da médica Nise Yamaguchi nesta terça-feira, 1º, na CPI da Covid-19 , demonstra um “péssimo exemplo” do Senado Federal. Na avaliação do parlamentar, membros do colegiado tentaram humilhar a depoente, que negou a participação em um gabinete paralelo no Ministério da Saúde. “Quando é um depoente que interessa em confrontar o governo eles fazem um festival de agressividade”, ponderou, ressaltando que o senador Renan Calheiros já tem um relatório pronto da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), usando apenas os depoimentos como “espetáculo político eleitoreiro”. “Eles fazem o que querem nas oitivas. Fui tentar defender a Dra. Nise, porque mesmo se tiver divergência não se faz aquilo, quase não querer ouvi-la. Para mim, o relatório já está concluído, já tem o culpado, o inocente. Antes de começar a CPI já tinha, é simples isso. Vocês que são jornalistas vão atrás das declarações do senador Renan, do relator, que é o coração e o pulmão da CPI”, disse ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, nesta quarta-feira, se referindo as declarações do colega sobre a culpa do presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento à pandemia.

Para Eduardo Girão, o posicionamento dos membros da comissão demonstra que a CPI da Covid-19 é “uma palanque político” em meio à crise sanitária que avança e assola o país. “Não deviam falar em política agora, o objetivo é salvar vidas”, defendeu, citando que, embora reconheça os erros do presidente ao “mostrar remédios” e fazer aglomerações, não é possível culpar Bolsonaro pela pandemia. “Não se pode dizer que a responsabilidade da pandemia, que é algo novo no mundo todo, é uma responsabilidade de um só. O STF retirou as atribuições do governo central e repassou a Estados e municípios, essa turma não quer vir aqui falar dos bilhões e bilhões [de reais]”, completou, citando a intenção dos governadores de não comparecerem ao colegiado para falar sobre possíveis desvios de verbas. “É aquela velha história: quem não deve, não teme”, disse.

O senador citou ainda as expectativas positivas para a sessão desta quarta-feira na CPI, que recebe a médica infectologista Luana Pinheiro Araújo, que chegou a ser anunciada como secretária de Enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, mas esteve no cargo por apenas 10 dias.  “Espero que a Dra. Luana seja muito melhor tratada que a Dra. Yamaguchi”, pontuou Eduardo Girão, lembrando que inicialmente a pauta previa a presença de médicos para abordar o contraditório uso de medicamentos para combate ao coronavírus, mas foi alterada de última hora. “Existe escalada ditatorial desse grupo G7, que dizem que é independente, mas é oposicionista.”

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 2 de junho de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigo: A PEC dos Precatórios

Um dos temas de maior repercussão recente na mídia é a Proposta de Emenda Constitucional nº 23/2021, que propõe alterações no regime constitucional de pagamento de precatórios. Confira aqui o artigo...

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *