Arthur Weintraub defende tratamento precoce: ‘Mantenho posicionamento científico que adotei no governo’

Postado em 10 de junho de 2021

O ex-assessor da Presidência da República, Arthur Weintraub, segue na mira dos integrantes da CPI da Covid-19 por supostamente liderar um “gabinete paralelo” da Saúde. Os senadores investigam a possível formação de um grupo de especialistas que teriam aconselhado o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a condução da pandemia, abastecendo o chefe do Executivo com informações sobre um suposto tratamento precoce da doença. Cientificamente, não há evidências que comprovem a eficácia do “tratamento precoce”. Em entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, nesta quinta-feira, 10, Arthur negou a existência de um “gabinete paralelo” e saiu em defesa dos medicamentos que compõem o chamado “kit Covid”.

“Não entrei para o governo durante a pandemia, fui nomeado assessor especial em 2019. Assim que a Covid chegou ao Brasil, em março de 2o20, meu irmão Abraham Weintraub nos trouxe a informação de que milhões de brasileiros poderiam morrer devido à doença. Diante do cenário, tentamos fazer algo. Como pesquisador, acho inaceitável ouvir que não existe nenhum tratamento para o vírus ou o Ministério da Saúde aconselhando cidadãos a procurarem os hospitais apenas quando a doença tivesse evoluído. Por isso, comecei a estudar. Não sou médico, mas consigo ler um artigo científico de medicina e compreender a metodologia, os resultados. Nestas pesquisas, entrei em contato com médicos que atuavam na linha de frente e passaram a me enviar informações sobre medicamentos que poderiam ser eficazes contra a Covid-19″, disse. O atual secretário de Segurança Multidimensional da Organização dos Estados Americanos afirmou que estes médicos relatavam experiências de sucesso no uso da hidroxicloroquina aliada a outros remédios para combater o vírus. Além do fármaco que ganhou popularidade por ser amplamente difundido por Bolsonaro, Weintraub esclareceu que recebia ainda informações sobre a possível eficácia da ivermectina, da azitromicina e da vitamina D.

Questionado pela bancada do programa se mantém o apoio ao uso da cloroquina, Arthur reiterou que segue com a mesma opinião de quando integrou o governo. “É inaceitável ver um monte de gente morrendo e ouvir que nada pode ser feito. Por isso que, pessoalmente, mantenho o posicionamento científico que adotei na época. Entendo que existem estudos apontando resultados positivos do remédio e outros apontando resultados negativos. Defendo que receitar ou não a cloroquina é uma escolha individual do médico e de seu paciente.” Por fim, ele reforçou que está sendo atacado na CPI por ter exercido seu papel como assessor, repassando informações médicas a Bolsonaro. “Eu entregava “Até setembro de 2020, quando deixei o país, eu entreguei todos os estudos dos médicos ao presidente. Dizia: ‘Presidente, existe um possível tratamento precoce para a Covid-19. Sua eficácia não está comprovada porque não houve tempo suficiente de fazer estudos longos’. Fiz de tudo para auxiliar o governo e exerci meu papel como assessor ao repassar informações, positivas e negativas, a Bolsonaro. Ele pegava estas informações e atuava como entendia melhor”, concluiu.

Confira na íntegra a entrevista com Arthur Weintraub:

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 10 de junho de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 10 de junho de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Publicação de Alexandre Knopfholz na Gazeta do Povo

O advogado  Alexandre Knopfholz, do Núcleo de Direito Penal do Escritório, publicou, no dia 14/06/2021, o artigo no site Gazeta do Povo, com o tema “Uma só Constituição“. Confira o artigo aqui.The...

Uma só Constituição

*Artigo publicado na Gazeta do Povo, dia 14 de junho de 2021. Paira no país certa insatisfação com o STF. O atual conceito do tribunal difere grandemente daquele citado por ex-ministros notáveis,...

Artigos Relacionados

Presidente do TCU pede para a PF investigar auditor afastado do TCU

Presidente do TCU pede para a PF investigar auditor afastado do TCU

A presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministra Ana Arraes, pediu à Polícia Federal, na segunda-feira, 14, que seja aberto um inquérito para investir auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, apontado como autor...

Wilson Witzel recorre ao STF para não comparecer à CPI da Covid-19

Wilson Witzel recorre ao STF para não comparecer à CPI da Covid-19

O ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para não comparecer à CPI da Covid-19. Em pedido apresentado nesta terça-feira, 15, a defesa do político pede que ele não seja obrigado prestar depoimento aos senadores,...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *