PGR defende convocação de governadores para depoimentos na CPI da Covid-19

Postado em 11 de junho de 2021

Em parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador-geral da República, Augusto Aras, defendeu a possibilidade de convocação de governadores pela CPI da Covid-19. Ele entendeu que a ida dos chefes dos executivos estaduais e do Distrito Federal à comissão pode ocorrer desde que os depoimentos tratem apenas da utilização dos recursos federais repassados pelo governo federal para o combate à pandemia. Governadores de 18 Estados e do Distrito Federal foram ao Supremo para tentar barrar a convocação de alguns deles. Ao defender a rejeição do pedido, Aras destaca que “é função precípua do Congresso Nacional fiscalizar a correta aplicação dos recursos federais, mesmo que tenham sido repassados a estados, Distrito Federal e municípios”. O procurador sustenta que “qualquer pessoa (…) que utilize, arrecade, guarde, gerencie ou administre dinheiros, bens e valores públicos’ da União tem o dever de prestar contas. Os governadores de Estado e os prefeitos não fogem a essa regra”.

De acordo com o procurador-geral, o Supremo já validou, inclusive, acórdãos do Tribunal de Contas da União (TCU) que aplicaram sanções diretamente a chefes do Poder Executivo municipal. Aras sustenta ainda que ao “utilizar, guardar, gerenciar ou administrar recursos da União, os gestores estaduais e municipais não atuam na respectiva esfera própria de autonomia dos entes federativos”.  Por fim, ele lembra que a CPI da Covid-19 fundamentou a convocação de alguns governadores na necessidade de aprofundar a investigação sobre o uso das verbas federais repassados aos entes regionais, em função da “existência de indícios de irregularidades na aplicação dos recursos da União”.

Na avaliação do PGR, o depoimento dos governadores não tem como propósito interferir nos assuntos dos Estados e, portanto, os atos do poder público apontados na ação não violaram nenhum preceito fundamental da Constituição Federal. Em manifestação enviada ao Supremo, a Advocacia-Geral do Senado também defendeu os depoimentos. A relatora da ação no STF é a ministra Rosa Weber. Na terça-feira, 8, a ministra liberou o governador do Amazonas, Wilson Lima, de comparecer ao Senado Federal para oitiva.

*Com informações da repórter Letícia Santini

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 11 de junho de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *