Patriota aprova mudanças em estatuto e abre as portas para Bolsonaro e aliados

Postado em 15 de junho de 2021

O Patriota, partido que tenta abrigar o presidente Jair Bolsonaro, realizou uma nova convenção nesta segunda-feira, 14, e aprovou, mais uma vez, mudanças no estatuto. Apesar do resultado, uma ala da sigla contesta a votação e promete recorrer. Uma reunião semelhante já tinha sido realizada há duas semanas, mas as alterações aprovadas foram contestadas na Justiça. O grupo ligado ao vice-presidente do Patriota, Ovasco Resende, acusa o presidente do partido, Adilson Barroso, de promover uma manobra para atropelar demais dirigentes. O objetivo seria abrir espaço para abrigar na legenda aliados de Bolsonaro. Em uma tentativa de apaziguar a disputa, o filho do presidente e senador Flávio Bolsonaro, que se filiou em maio ao Patriota, disse que o pai não quer “cortar cabeças”, mas busca segurança jurídica. “Presidente Bolsonaro quer, ele já manifestou a intenção de vir para o Patriota. Agora quer vir com a segurança jurídica, com a tranquilidade de que ele não vai precisar se preocupar com a questão partidária. Ao contrário do que muita gente está achando, Bolsonaro não vem para cortar cabeça. Ele vem com a tranquilidade que não vai precisar e preocupar com isso”, afirmou.

O presidente do Patriota, Adílson Barroso, falou da possibilidade de crescimento do partido com a eventual filiação de Bolsonaro e garantiu que “ninguém será abandonado”. “Vamos votar pra poder vir o presidente, vamos votar para mudar o estatuto como o presidente quer. Ninguém será será abandonado. Nós não faremos mal a ninguém, nós ajustamos a parceria. Mas o presidente só vem se puder confiar no partido também”, disse. Se as alterações no estatuto forem confirmadas, o número de integrantes do diretório nacional do Patriota será ampliado. Isso permitiria acomodar o grupo político do presidente Bolsonaro, caso resolva se filiar. Entre as queixas da ala contrária às mudanças estão denúncias de supostas fraudes na realização da convenção e reclamações sobre a forma de convocação e falta de representatividade.

*Com informações do repórter Vitor Brown

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 15 de junho de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *