Senador afirma que parlamentares ‘perderam a noção’ ao aprovar R$ 5,7 bi de fundo eleitoral

Postado em 16 de julho de 2021

O senador Oriovisto Guimarães criticou a aprovação de R$ 5,7 bilhões para o fundo eleitoral de 2022. Para ele, os parlamentares perderam a noção. “A quantia de dinheiro que aprovaram é um absurdo total. Perderam a noção. Fiz todos os discursos do mundo, quase consegui reverter, mas o governo atuou fortemente e eu perdi. A minha bancada perdeu. Todos os senadores do Podemos votaram contra. O governo fez 40 votos e nós fizemos 33 votos”, disse. Para comparação, tudo o que o Brasil vai gastar com Ciência e Tecnologia em 2021 é menos da metade do que foi aprovado para o fundo. O mesmo vale para o valor destinado ao Ministério da Cidadania. “Esse é um país que vai aplicar mais em eleição do que em Ciência e Tecnologia e em Cidadania.”

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, Oriovisto disse que, em 2018, o valor gasto foi de R$ 2,7 bilhões. “Cerca de 70% disso era dinheiro público, o restante era dos candidatos ou de doação. Agora, aprovaram R$ 5,7 bilhões como se, de 2018 para cá, a inflação tivesse sido mais de 100%. É um absurdo, perderam a noção, é um desrespeito nesta época de pandemia. Tem gente passando fome, desemprego. Aprovar R$ 5,7 bilhões para fazer santinho? Propaganda com dinheiro público? Não sei nem o que dizer.” O senador destacou que existe oportunismo tanto na esquerda, quanto na direita — assim como a corrupção. “Não vote em candidato por ideologia, olhe o histórico ético do candidato. Entendam, de uma vez por todas, que não adianta eleger um presidente, isso não vai resolver. Tem que fazer uma limpa no poder legislativo, nos deputados e senadores.”

Oriovisto Guimarães afirmou não saber de “quem foi a ideia” porque as “coisas são feitas por debaixo dos panos”. Para ele, o mínimo que o presidente Jair Bolsonaro poderia fazer neste momento seria vetar a proposta. O senador confirmou seu apoio a uma possível candidatura do ex-ministro Sergio Moro para as eleições presidenciais de 2022. “O que nos move é simples: como milhões de outros brasileiros, não queremos mais repetir Bolsonaro e nem a volta do Lula. Respeito, acho legítimo quem quer isso. Vivemos em uma democracia, quero que me respeitem também. Não quero nem Lula, Nem Bolsonaro”, afirmou. Até o momento, de acordo com ele, o ex-juiz da Lava Jato ainda não confirmou se pretende se candidatar ao cargo. “O que importa é que o presidente precisa de um novo caminho.”

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 16 de julho de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *