Fux sobe o tom e rebate acusações de Bolsonaro sobre fraude nas urnas: ‘Harmonia entre Poderes não implica impunidade’

Postado em 2 de agosto de 2021

Na abertura da sessão inaugural do segundo semestre de trabalhos do Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente da Corte, Luiz Fux, fez um discurso em defesa da democracia e das instituições. Sem citar nominalmente o presidente Jair Bolsonaro, o magistrado rebateu, nesta quarta-feira, 2, os ataques ao sistema eleitoral brasileiro e ao ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “A harmonia e a independência dos Poderes não implicam impunidade de atos que exorbitem o necessário respeito às instituições. Permanecemos atentos aos ataques de inverdades à honra dos cidadãos que se dedicam à causa pública. Atitudes desse jaez deslegitimam, veladamente, as instituições do país, e ferem não apenas biografias individuais, mas corroem, sorrateiramente, os valores democráticos consolidados ao longo de anos pelo suor e pelo sangue dos brasileiros que viveram em prol da construção da democracia do nosso país”, disse Fux. Na manhã de hoje, em conversa com apoiadores, na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que Barroso quer uma “eleição suja” no ano que vem.

Em sua fala, Fux também afirmou que há um “momento adequado para erguer a voz diante de eventuais ameaças” às instituições. “A sociedade não espera de magistrados o comportamento que é próprio e típico dos atores políticos. O bom juiz tem como predicados a prudência de ânimos e o silencio na língua, sabe o seu lugar de fala e o seu vocabulário próprio. Igualmente, o tempo da Justiça não é tempo da política. Embora diuturnamente vigilantes para com a democracia e as instituições do pais, os juízes precisam vislumbrar o momento adequado para erguer a voz diante de eventuais ameaças. Numa democracia, juízes não são talhados para tensionar”, disse. O presidente da Corte prosseguiu dizendo que “o brasileiro de hoje clama por saúde, paz, verdade e honestidade; não deseja ver exacerbados os conflitos políticos; quer a democracia e as instituições em pleno funcionamento; não quer polarizações exageradas. Quer vacina, emprego e comida na mesa. Saibamos ouvir a voz das ruas, para assimilarmos o verdadeiro diálogo que o brasil, nesse momento tão sensível, reclama e deseja”. “A história brasileira é farta de exemplos que nos permite vaticinar: o tempo é o melhor juiz de nossas trajetórias. Daqui há algumas décadas, as próximas gerações, mais distanciadas das paixões que inebriam as controvérsias de nosso dias, saberão perfeitamente a quem reverenciar”, acrescentou.

O pronunciamento de Fux ocorre na esteira de uma crise entre o presidente Jair Bolsonaro, o Supremo Tribunal Federal e Justiça Eleitoral. Nas últimas semanas, o chefe do Executivo federal chamou o ministro Luís Roberto Barroso de “idiota” e “imbecil”, acusou o magistrado de ser favorável à pedofilia e de ter interesse na eleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em outubro do ano que vem. “O Barroso ajuda a botar o cara [Lula] para fora da cadeia, torna elegível. E o Barroso vai contar os votos dele lá? Qual a consequência disso?”, disse a apoiadores. Não há qualquer indício que endosse essa afirmação. Presidente do TSE, Barroso é contra a mudança do sistema de votação do país. Na sexta-feira, 30, o ministro afirmou que “quem não sabe perder, não aceita a democracia”, acrescentando que “o discurso ‘se eu perder, houve fraude’ é de quem não aceita a democracia”.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 2 de agosto de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 2 de agosto de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

Publicação de Larissa Ross no Migalhas

Publicação de Larissa Ross no Migalhas

A advogada Larissa Ross, publicou no dia 17/09/2021, o artigo no Migalhas, com o tema “A obrigatória ratificação judicial dos elementos informativos da investigação para a decisão de pronúncia“. Confira aqui o artigo.The post Publicação de Larissa Ross no Migalhas...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *